Cinema: Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2

Magia, Sofrimento e Amor…

Hora de decidir quem fica vivo: Harry enfrenta Voldemort.

Nesta segunda parte do final épico da série, a batalha entre o bem e o mal no mundo da magia se torna uma guerra entre centenas de bruxos. Os riscos nunca estiveram tão altos e nenhum lugar é seguro. Assim, Harry Potter precisa se apresentar para fazer o seu último sacrifício, enquanto o confronto final com Voldemort se aproxima. Tudo termina aqui.

Um final extraordinário! É isso que pode resumir o final da saga Harry Potter. Mais uma vez temos o diretor David Yates no comando, e ele leva a sensação de adrenalina a mil neste último filme da franquia. E como não podia deixar de ser, as atuações são o destaque nessa aventura final. Daniel Radcliffe entrega um Harry convicto do que o futuro lhe espera. Mesmo descobrindo no meio do filme o que acontecerá com ele, Harry não desiste e segue em frente na sua missão. Emma Watson continua muito bem como o centro dramático dos personagens principais, e sua Hermione está mais perfeita do que nunca. Rupert Grint e o seu Rony, continua com o lado um pouco cômico, mas devido as circunstâncias, Rupert também tem seus momentos dramáticos. A química dos três juntos chega a perfeição neste final. Agora não há como negar, Ralph Fiennes entrega a melhor atuação do filme. O seu Lorde Voldemort está simplestente excepcional, seja no modo como caminha, ou no seu jeito de falar. Ralph Fiennes coloca Voldemort na história como um dos maiores vilões da história do cinema.

Como já era de se esperar, o roteiro do filme deixa algumas coisas do livro de fora. Eu particularmente sei separar o livro do filme, e por isso não sinto muita falta do que ficou de fora. Mas mesmo assim, o roteiro é muito bom. A trilha sonora de Alexandre Desplat é magnífica neste final, o que deixa um cheiro de Oscar no ar… e por falar em Oscar, esse filme merece alguns, afinal, depois de 10 anos contibuindo tanto para o cinema, nada mais justo do que marcar a franquia com alguns Oscar’s.

Atenção Spoiler’s! Esta parte do texto é para quem viu o filme, ou leu o livro.

Como um dos fãs da saga Harry Potter, deixarei aqui o meu depoimento sobre como foi a primeira sessão que acompanhei deste último filme (no momento em que estava escrevendo, acabava de chegar da segunda sessão dele).

Pois bem… impossível não se emocionar. E confesso que a emoção já começou quando a logomarca da Warner Bros estava vindo em direção a tela… e eu pensando “é a última vez…” Depois, voltei ao normal e o filme já teve ação no começo quando Harry, Rony e Hermione invadem o Gringotes à procura de mais uma Horcrux… cena vai, cena vem… chega a hora que Harry e os colegas voltam a Hogwarts! E mais uma hora para se emocionar, na hora que Harry é visto pelos outros colegas toca o tema que John Williams criou para a Pedra Filosofal… impossível não lembrar daquele garotinho, que a 10 anos atrás descobria que era um bruxo. Minhas primeiras lágrimas chegaram quando a Professora Minerva e outros bruxos estavam lançando feitiços para proteger a escola, e com a bela trilha de Desplat… fiquei imaginando “não acredito… essa magia toda está acabando…

Enquanto Voldemort ia ficando mais vulnerável conforme as Horcruxes eram destruídas, não tinha como não vibrar de emoção com as declarações de amor: Rony beijando Hermione na câmara… para logo depois ele sair gritando pela Sala Precisa dizendo: “Ela é minha namorada!“; o beijo de Harry e Gina no meio de uma correria… Neville querendo encontrar Luna e dizer que a ama, porque talvez no amanhecer não esteja vivo. Uma das coisas que J. K. mais colocou em sua obra, foi isso, o amor… e como Voldemort despresava ele… e David Yates conseguiu fazer belas cenas como estas que citei, e o sujeito dentro da sala pensa: “isso Voldemort não tem…” perfeito!

Com certeza uma das cenas que ficará eternamente em minha memória é Voldemort e seus seguidores chegando em Hogwarts e Hagrid trazendo nos braços o corpo de Harry Potter… os rostos de Hermione e Rony ao ver Harry são carregados de emoção ao máximo… logo depois Neville faz um discurso muito emocionante, (lá vem as lágrimas de novo) seguido de Harry pulando dos braços de Hagrid e voltando a luta, para espanto de Voldemort.

Quando Molly matou Belatriz a platéia quase veio abaixo de tanta vibração e aplausos, afinal de contas, fã que é fã, não esquece que ela matou Sirius e torturou Hermione… falando em morte, também emociona o momento em que vemos os corpos de Fred, Lupin e Tonks, mortos na batalha.

Neville matando Nagini e acabando assim com a última Horcrux também fez a platéia aplaudir… e o momento final do confronto entre Harry e Voldemort foi espetacular… ver Voldemort perdendo as forças, e a varinha indo ao encontro de Harry, foi espetacular… e ver Voldemort sendo destruído faz o público respirar fundo e pensar… “agora acabou! Conseguimos, vencemos a batalha…

O fim do filme trás toda a magia de volta… ver Harry levando o seu filho, e atravessando a Plataforma 9 3/4… o garoto, que se chama Alvo Severo Potter, confessando a Harry que tem medo de ir para a Sonserina… nos remete a lembrar mais uma vez de A Pedra Filosofal… e aquela magia, do trem indo para Hogwarts… dos sapos de chocolate que aparecem lá no final… e o filme termina com um close, nos heróis: Harry, Hermione e Rony… impossível não haver lágrimas nesse momento… e a platéia fez uma salva de palmas pra lá de merecidas!

Fim dos Spoiler’s!

Então é isso, Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 encerra de maneira magnífica esta saga, que com certeza é uma das maiores, e por que não a maior da história do Cinema… e me arrisco a dizer, que nunca mais veremos uma magia com essa magnetude no cinema…

Obrigado por tudo J. K. Rowling, e obrigado a Harry, Hermione e Rony, e a todos que participaram desta maravilhosa história…

Nota: 10,0

Harry Potter and the Deathly Hallows: Part II, 2011. Direção: David Yates. Com: Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint, Helena Bonham Carter, Ralph Fiennes, Gary Oldman, Alan Rickman, Tom Felton, Bonnie Wright, Jason Isaacs, Michael Gambom, Maggie Smith, Evanna Lynch, Ciarán Hinds, John Hurt, Robbie Coltrane, David Thewlis, Clemence Poesy, Matthew Lewis, Natalia Tena, Jim Broadbent, Julia Walters, Helen McCroy, James Phelps, Oliver Phelps, Geraldine Somerville, Mark Williams, Adrian Rawlins, Devon Murray. 130 Min. Aventura.

Evilmar S. de Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s