Cinema: Sombras da Noite

Maldição, Sangue e Paixão…

Barnabas: Mais um personagem estranho na filmografia de Johnny Depp.

No ano de 1752, Joshua, Naomi Collins e seu filho Barnabas, foram embora de Liverpool, Inglaterra, para começar uma nova vida na América. Mas mesmo um oceano não foi suficiente para escapar da misteriosa maldição que atormenta sua família. Duas décadas se passaram e Barnabas (Johnny Depp) tem o mundo aos seus pés, ou pelo menos a cidade de Collinsport, Maine. Capitão do Collinwood Manor, Barnabas é rico, poderoso e um playboy inveterado … até que ele comete o erro grave de quebrar o coração de Angelique (Eva Green), uma bruxa, em todos os sentidos da palavra, Angelique condena-o a um destino pior que a morte, transformando-o em um vampiro e enterrando-o vivo. Dois séculos mais tarde, Barnabas é libertado de seu túmulo, e surge nos dias modernos.

E finalmente chega aos cinemas Sombras da Noite, filme que marca a oitava, isso mesmo a oitava parceria entre o diretor Tim Burton e o ator Johnny Depp. Os dois trabalharam juntos em A Fantástica Fábrica de Chocolates; A Noiva Cadáver; Ed Wood; Edward: Mãos de Tesoura; A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça; Sweeney Todd e Alice no País das Maravilhas.

Os filmes de Tim Burton sempre são recebidos com bastante expectativa. Isso se deve a visão um pouco sombria que seus filmes tem, assim como a qualidade dos mesmos. Sombras da Noite tem um ponto positivo a mais do que alguns dos últimos trabalhos de Burton, o fato do diretor voltar a trabalhar mais com cenários construídos, e não com aquele fundo verde onde depois o cenários aparecem com os efeitos de computador, como foi o caso de Alice no País das Maravilhas. Quando Burton trabalha com cenários, a sua imaginação flui de maneira brilhante e cria um visual cheio de cores e deixa a fotografia de seus filmes, sublime. Percebam a fotografia de Edward: Mãos de Tesoura, A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça e Sweeney Todd… o visual desses filmes são de uma beleza imensa. Aqui ele dá um tom bastante escuro ao filme, e consegue criar um contraste de cores de chamar a atenção, seja pela maquiagem pesada de Johnny Depp, ou pelos cabelos loiros de Eva Green, ou até mesmo com os figurinos de todos os personagens. O fato é que Tim Burton volta, e mostra que ainda tem muito a mostrar para os seus fãs.

Johnny Depp mais uma vez interpreta um personagem bastante estranho na sua carreira. Foi estranho chama o Depp que ele tira de letra. Mais uma vez o ator mostra seu talento ao interpretar um vampiro que passou 196 anos dormindo e acorda em outra época. A situação é perfeita para mostrar Depp achando as coisas estranhas, e tendo que lhe dar com elas. Eva Green nunca foi uma atriz que me mostrou simpatia, talento ela tem, mas confesso que eu estava com medo dela meio que, “estragar” o filme. Ainda bem que isso não aconteceu. Eva Green interpreta uma bruxa daquelas de poder mesmo, em que você pode realmente temer. Ao lado de Depp, ela é outro destaque com um show de atuação, além de se mostrar bastante provocante em alguns momentos. E mesmo como vilã, ela conseguiu neste papel me mostrar simpatia, e ganhou alguns pontos comigo. A jovem Chlöe Moretz mais uma vez entrega uma ótima atuação, como a adolescente um pouco rebelde que tem em suas feições a principal característica de sua personagem. Ano que vem, poderemos ver ela como protagonista de um remake de um clássico do terror, Carrie: A Estranha. Talento ela tem, e muito. Helena Bonham Carter e Jackie Earle Haley também estão no elenco.

Visual brilhante, trilha sonora espetacular, ótimas atuações, direção competente e efeitos especiais geniais. O filme deu um show nos efeitos, e o mais perfeito e foda de todos foi a Eva Green se “despedaçando” no final do filme. Em um determinado momento a câmera da um close em seu rosto, e reparamos a testa afundada e trincada, depois vemos o seu braço faltando alguns pedaços… perfeito! E vou logo dizendo, se ano passado Além da Vida de Clint Eastwood concorreu ao Oscar de Efeitos Especiais só por causa da cena do tsunami, não seria exagero Sombras da Noite ganhar nessa categoria, só pela perfeição da cena. Eu sei que é cedo, e que vai sair muitos filmes que vão usar muitos efeitos, mas que foi perfeito, isso foi!

Então é isso, Sombras da Noite diverte muito e mais uma vez a parceria entre Johnny Depp e Tim Burton merece ser conferida, porque quando esses dois se juntam, sempre sai coisa boa. Que venham outras parcerias.

Nota: 8,5

Dark Shadows, 2012. Direção: Tim Burton. Com: Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, Helena Bonham Carter, Eva Green, Jackie Earle Haley, Jonny Lee Miller, Chloë Grace Moretz, Gulliver McGrath, Christopher Lee, Alice Cooper. 113 Min. Terror.

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.

Anúncios

Um pensamento sobre “Cinema: Sombras da Noite

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s