Cinema: Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge

Ressurgimento, Responsabilidade e Sacrifício…

Bane e Batman: O futuro de Gotham em jogo.

Passaram-se oito anos desde que Batman desapareceu na noite, e naquele instante passou de herói a vilão. Ao assumir a culpa pela morte do promotor Harvey Dent, o Cavaleiro das Trevas sacrificou tudo o que era importante para ele, e agora sofre uma perseguição liderada por seu amigo Comissário Gordon. Agora, ele terá de lidar com a chegada de um ladra muito esperta e misteriosa. Muito mais perigoso, no entanto, é o aparecimento de Bane, um terrorista mascarado, cujo plano é tirar Bruce desse exílio auto-imposto.

Momentos como esse no cinema são raros. O encerramento de uma saga, ou uma trilogia que marcou o público, e assim fez deste, um dos filmes mais esperados de todos os tempos. Há nove anos atrás tive o privilégio de ver o encerramento da saga O Senhor dos Anéis, e ano passado o de Harry Potter. Quanto a minha expectativa pelo fim da saga do homem-morcego pelas mãos de Christopher Nolan, eram enormes. Fiquei longe de cada viral que tinha na internet, me escondia de cada trailer (cheguei a abaixar a cabeça em duas sessões de cinema que exibiram o trailer do filme). Tudo isso porque eu queria ver tudo apenas com  o filme pronto. Queria sentir toda a emoção apenas de uma vez. E toda a espera valeu a pena. Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, é o filme do ano!

Quanto as atuações, Christian Bale está mais uma vez muito bem. Incrível como ele passa credibilidade, e neste filme ele está melhor do que nunca. Comparando com os outros dois filmes da franquia, essa é a sua melhor atuação, talvez pelo fato do personagem está vivendo um momento mais dramático. Tom Hardy, o Bane, está perfeito. Nolan não poderia ter escolhido um personagem melhor para ser o vilão do filme, e Tom Hardy entregou uma atuação espetacular, que realmente mete medo. Falando sobre os outros personagens, muita gente desconfiava da personagem Selina, que ganha vida na perfomance de Anne Hathaway. Mas como eu tinha dito, em Nolan eu confio. E Anne Hathaway não deixou a desejar. Falo por mim, gostei da atuação dela. Divertida, ousada, exalando feminilidade… caiu muito bem no papel. Outro que agradou bastante é Joseph Gordon-Levitt, que interpreta Blake… e que no final… bem, não vou contar tudo… Joseph mas uma vez tem uma excelente atuação, dinâmico nas cenas, convincente e passando uma grande credibilidade em seu papel. Boatos antes do filme até diziam que Gordon-Levitt seria o novo Batman, em uma suposta nova trilogia… mas o final do filme, pode aguardar outra coisa para o ator. Marion Cotillard interpreta Miranda. Seu personagem é de fundamental importância na trama, com direito até a uma surpresa, para espanto de todos dentro da sala. Quem merece aplausos (e muitos) é Michael Caine. Uma interpretação impecável, e carregando boa parte do drama que a história tem. Caine emociona em praticamente todos os momentos, e quem sabe, pode até ser lembrado na noite do Oscar, porque ele merece sim, uma indicação. O filme ainda conta com Morgan Freeman e Gary Oldman, ótimos como sempre.

Christopher Nolan mais uma vez faz um filme perfeito, sem erros e uma direção precisa, ele cria cenas fantásticas. O que falar daquelas cenas aéreas envolvendo os dois aviões no começo do filme? Simplesmente espetacular. Nolan consegue nos transportar para Gotham City. Ficamos com medo do vilão Bane, tememos o que está acontecendo em Gotham, e isso faz com que queremos que o Batman apareça logo, e nos salve, e assim salve Gotham City. Falo assim, porque assim como eu, você que está lendo agora também será transportado para dentro da cidade de Gotham como eu fui, e isso graças ao trabalho deste gênio chamado Christopher Nolan. Isso só pra citar alguns exemplos. É bem verdade que o filme tem algumas situações clichês, mas Nolan fez dessas situações, fantásticas. Nolan também teve participação no ótimo roteiro. Outro que mais uma vez deu show foi Hans Zimmer… que trilha soberba… dá vontade de sair correndo pelo cinema, tamanho é o espetáculo que Hans Zimmer cria. E pensar que mais uma vez, ele pode passar em branco no Oscar. Ele venceu só com a trilha de O Rei Leão, mas a Acadêmia o ignorou em Gladiador, Batman: O Cavaleiro das Trevas e A Origem… mas ele não precisa de Oscar para provar que é um dos melhores compositores da história do cinema.

Além disso tudo, os efeitos especiais e sonoros estão excelentes. Vou destacar os sonoros, por que, o que são os barulhos nas cenas de luta? Meu Deus! Perfeitos. No primeiro confronto, Bane dá um murro na barriga do Batman, que eu senti como se fosse na minha. E em muitas outras situações, você imerge para dentro do filme.

Atenção! O texto a seguir contém spoiler.

O filme já começa a 300 por hora, digamos assim. Nolan dá um aperitivo do que está por vir durante todo o filme com uma cena de ação que envolve dois aviões. O diretor não esconde o vilão do filme, Bane, e já o mostra logo no início. E que personagem. Tom Hardy está fantástico, com uma postura realmente que amedronta qualquer um, e uma voz que eu vou dizer, FODA. Uma voz capaz de provocar pânico, tamanho é o terror que o personagem causa ao falar.

A expectativa aumenta agora pela aparição do Batman. Vemos um Bruce Wayne, que não está bem fisicamente, e a 8 anos sem vestir a roupa do homem-morcego. Mas devido aos acontecimentos na cidade, ele se prepara, e assim volta à ativa. Sua primeira aparição gerou aplausos da platéia, mas o seu primeiro duelo com Bane gerou drama. Bane da uma surra em Batman, com direito a quase quebrar a sua coluna. Assim, todos (Batman e público) percebem que Bane não é um vilão qualquer. Ele é forte, poderoso e com certeza será muito difícil detê-lo. Bane prende o Batman na mesma prisão em que ele já esteve preso. Onde de lá, apenas uma criança fugiu… seria essa criança Bane? Pelo menos era o que todos achavam…

Não conheço os quadrinhos do Batman, mas pelo menos no cinema, Bane foi o vilão mais perigoso que o Batman enfrentou. O título do filme com o “Ressurge”, não faz referência do Batman ter passado 8 anos sem agir, e depois ter o primeiro confronto com Bane. O “Ressurge” vem justamente depois que Bane o prende, onde Bruce recebe conselhos de alguns idosos da prisão, e finalmente consegue sair de lá para vir combater Bane em Gotham City.

Fim dos spoiler’s.

Mesmo fantástico, dificilmente Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge irá ganhar muitos prêmios. Apesar de merecer, nós conhecemos como esse jogo funciona. Mas o que importa é que o filme entrou para a história do cinema.

Nota: 10,0

The Dark Knight Rises, 2012. Direção: Christopher Nolan. Com: Christian Bale, Gary Oldman, Tom Hardy, Joseph Gordon-Levitt, Anne Hathaway, Marion Cotillard, Morgan Freeman, Michael Caine. 164 Min. Ação.

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s