Cinema: O Legado Bourne

Esforço, Falhas e Lentidão…

Jeremy Renner tenta, mas O Legado Bourne falha.

O Legado Bourne expande o universo Bourne criado por Robert Ludlum com uma história original que apresenta um novo herói: Aaron Cross (Jeremy Renner). Ele passou pelo mesmo tipo de recrutamento de Bourne no misterioso programa conhecido como Treadstone.

A trilogia Bourne reuniu fãs durante esses últimos anos. Com uma história ágil, e um protagonista carismático, a trilogia baseada nos livros de Robert Ludlum foi sucesso nos cinemas. Porém, nesta quarta história, mudanças vinheram. O roteiro é totalmente original, e a maior dúvida de todas, um novo protagonista.

Confesso que não sou um fã fervoroso da trilogia Bourne. Porém, admiro muito os filmes. Matt Damon foi um Jason Bourne perfeito, e os filmes tem cenas de ação eletrizantes. A verdade aqui, é que O Legado Bourne deixou de lado justamente o que foi sucesso nos outros filmes, a ação. O filme troca a ação, por uma história que é focada mais nos bastidores a caça dos participantes do Treadstone. E diga-se de passagem, a história fica chata. Além dessa briga de bastidores, ficar mostrando o personagem do Jeremy Renner, isolado na neve durante uns 40 minutos, é de uma lentidão incrível. Em determinado momento, quando o filme se encaminhava para o final, eu me perguntava: Cadê aquela ação frenética dos outros filmes? Apenas na parte final, temos uma cena digna da trilogia Bourne, uma perseguição de motos alucinante, daquelas de você se expremer na poltrona. Quando a cena terminou, eu fiquei imaginando: É, o filme todo poderia ter tido esse ritmo. E apenas uma cena dessa, não salva o filme. Outra coisa que fique clara, em nenhum momento essas falhas, são culpa de Jeremy Renner, ou do resto do elenco. A culpa do filme ter essas falhas, é de um roteiro fraco, e arrastado.

Nas atuações, Jeremy Renner fez o que pôde no filme. No momento em que foi exigido, ele mostrou que é um baita ator de filme de ação. Edward Norton e Rachel Weisz também se sobressaem ao roteiro, e conseguem interpretações dignas de seus talentos, principalmente Rachel, que está ótima. No mais, vemos também outros atores que participaram da trilogia, até Matt Damon aparece, em uma foto no computador.

Quanto a parte técnica, os efeitos continuam muito bons. Bem diferente da edição, que foi se arrastando ao longo do filme. A trilha sonora, assim como nos outros filmes está ótima, e é uma das coisas que se salvaram.

A verdade é que, para um filme da franquia Bourne, este ficou devendo muito. Apesar do esforço dos atores, o filme é muito mediano. Um filme que dificilmente irá agradar os fãs da franquia.

Nota: 6,5

The Legacy Bourne, 2012. Direção: Tony Gilroy. Com: Jeremy Renner, Rachel Weisz, Edward Norton, Stacy Keach, Oscar Isaac, Albert Finney, Joan Allen, David Strathairn, Scott Glenn. 135 Min. Ação.

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s