Cinema: O Mestre

Difícil, Inquietante, e Misterioso…

Phoenix e Hoffman: duelo de diálogos.

Phoenix e Hoffman: duelo de diálogos.

O Mestre é um drama de época sobre a fundação de A Causa, uma organização religiosa criada por Lancaster Dodd (Philip Seymour Hoffman) nos anos 50, depois que ele testemunha o horror na Segunda Guerra Mundial. Plemons faz o filho de Dodd e Warshofsky interpreta um detetive. A trama enfoca principalmente Freddie Quell (Joaquin Phoenix), ex-alcoólatra que se torna aprendiz de Lancaster Dodd, mas começa a questioná-lo quando o culto ganha proporções de fervor cego.

O Mestre é um daqueles filmes que nós vamos dizer que “é para poucos”. E é verdade. O novo filme do diretor de Magnólia, Paul Thomas Anderson, não vai agradar a todos. Mas se você se preparar, e ainda, souber o que vai assistir, você pode tirar coisas boas sobre o filme.

Em matéria de roteiro, esse é o mais simples de Paul Thomas Anderson, que já escreveu e dirigiu filmes como, o próprio Magnólia já citado acima, Embriagado de Amor, Sangue Negro e Boogie Nights: Prazer Sem Limites, entre outros. Mas a verdade é que em O Mestre, Paul Thomas Anderson dirige um filme muito tranquilo, sem muitos altos e baixos, e que raramente causa algum impacto.

Direção tranquila de Anderson, e que de cara já nos mostra tudo o que tem em seu filme. Já no início sabemos do alcoolismo de Joaquin Phoenix no filme, e logo depois a fundação da organização religiiosa de Phillip Seymour Hoffman. E assim o filme vai caminhando. Talvez isso tenha prejudicado um pouco o filme, já que no mais, nada de muito grande acontece.

Incrível foi os atores principais entender exatamente o que PTA queria, e entregaram atuações magníficas. Atuações que foram indicadas ao Oscar deste ano. Joaquin Phoenix brilha sendo um alcoólatra e um viciado em sexo. Os seus trejeitos, os seus olhares são de causar impacto. Phillip Seymour Hoffman está brilhante na pele do Mestre, e cria um personagem onde é difícil não sentir simpátia por ele. Amy Adams vai crescendo ao longo do filme e também tem uma bela atuação. PTA não criou cenas impactantes, mas pelo menos nos diálogos, o filme ganha muitos pontos. Diversas cenas temos diálogos impressionantes entre os protagonistas.

Com uma parte técnica digamos, discreta, mas mesmo assim competente, O Mestre que antes do lançamento era chamado de obra-prima, e coisas do tipo, acabou ficando de fora de alguns prêmios importantes, e assim chega fraco na corrida do Oscar. Um filme complicado, mas que deve ser apreciado pela força do trio principal, que não deixa em momento algum, o filme por baixo.

Nota: 8,0

The Master, 2012. Direção: Paul Thomas Anderson. Com: Joaquin Phoenix, Amy Adams, Philip Seymour Hoffman, Jesse Plemons, Jillian Bell, Kevin J. O’Connor, Laura Dern, Lena Endre, Rami Malek, W. Earl Brown. 137 Min. Drama.

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s