Memorável: Pânico

Wes Craven reinventa o terror nos anos 90.

Wes Craven reinventa o terror nos anos 90.

Um novo serial killer está imitando famosos assassinos do cinema e matando jovens como nos filmes, criando trabalho para a polícia local e assustando os estudantes do colégios da cidade. Pânico marcou o renascimento do sub-gênero terror adolescente, abrindo uma nova onda de filmes do estilo.

Criador de clássicos do terror como Quadrilha de Sádicos e A Hora do Pesadelo, Wes Craven entregou em 1996, Pânico. Filme que modernizou e reinventou o gênero do terror.

Neve Campbell vive a heroína Sidney Precott.

Neve Campbell vive a heroína Sidney Precott.

Hello Sidney…” Uma frase que ficaria marcada neste clássico do terror. O principal trunfo de Pânico, está em seu roteiro. Além de homenagear alguns clássicos do gênero durante todo o filme, ele ainda brinca e faz algumas sátiras com esses clássicos. É lógico que Wes Craven e Kevin Williamson, autor do roteiro, tiveram todo um cuidado para não estragarem os clássicos antigos com essas sátiras. O roteiro é tão saudoso, que em menos de 10 minutos de filme, os nomes de Michael Myers, Freddy Krueguer e Jason Voorhees são citados. São nesses minutos iniciais também que temos uma das cenas de terror mais tensas e aterrorizantes da história, que é o assassinato de Casey (Drew Barrymore), a cena horripilante do início ao fim, com a música de Marco Beltrami é espetacular. Confesso que esta cena não sai da minha cabeça, e às vezes me pego vendo o corpo de Casey pendurado na corda de vez em quando. Incrível.

Culpa dos filmes? Essa é a desculpa de Billy e Stu.

Culpa dos filmes? Essa é a desculpa de Billy e Stu.

O roteiro do filme trabalha muito bem o fato dos assassinos serem loucos, fanáticos. Os motivos de Billy e Stu, são estúpidos e foi impossível não lembrar deles, depois do acontecido na sessão de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, e na sessão de Clube da Luta em um cinema de São Paulo em 1999. Os filmes não são culpados por criarem esses assassinos, são desculpas utilizadas por eles… enfim, mas esse não é o principal tema deste memorável, mas fica a lembrança de como Wes Craven abordou bem o tema.

Drew Barrymore: primeira vítima de Ghostface.

Drew Barrymore: primeira vítima de Ghostface.

Wes Craven acertou na escolha do elenco. Matar Drew Barrymore em 10 minutos de filme, surpreendeu a todos. Afinal, ela já tinha uma certa fama, e se esperava que ela fosse a heroína. Esse papel ficou com a ótima Neve Campbell, que assim como Jamie Lee Curtis em Halloween, teve que passar por maus bocados com um assassino à sua cola. David Arquette faz o tipo do policial atrapalhado, mas de bom coração. Perfeito no papel. E se era pra conquistar mesmo os fãs, nada melhor do que trazer Courteney Cox, a Mônica do seriado Friends que é bem popular nos EUA e no mundo inteiro. Craven acertou do início ao fim, em Pânico.

Courtney Cox e David Arquette.

Courtney Cox e David Arquette.

Pânico depois ganhou uma sequência em 1997, outra em 2000, e em 2011 ganhou uma quarta parte. Todos bem divertidos, como é o estilo da série… mas nenhum deles conseguiu o êxito do original de 1996: fantástico, surpreendente e assustador.

Nota: 10,0

Scream, 1996. Direção: Wes Craven. Com: David Arquette, Neve Campbell, Courteney Cox, Skeet Ulrich, Rose McGowen, Matthew Lillard, Jamie Kennedy, Drew Barrymore. 111 Min. Terror.

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.

Anúncios

Um pensamento sobre “Memorável: Pânico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s