Cinema: Bonitinha, Mas Ordinária

Ingênuo, Provocante e Surpreendente…

Toda a doçura de Letícia Colin em um ótimo papel.

Toda a doçura de Letícia Colin em um ótimo papel.

Nova adaptação da famosa peça (e filmada três vezes) de Nelson Rodrigues sobre um industrial que oferece dinheiro a um de seus empregados para que ele se case com sua filha de 17 anos, vítima de uma curra. O rapaz, indeciso entre o enriquecimento fácil e a fidelidade aos seus sentimentos por uma jovem de classe social, a qual será envolvida pelo mundo inescrupuloso dos ricaços, desmascara a ingenuidade da menina oferecida.

Um bom filme. Não é brilhante, mas o filme dirigido por Moacyr Góes é bom. Roteiro bem amarrado, e com cenas bem dirigidas fazem valer a pena a sessão de Bonitinha, Mas Ordinária. O roteiro transita entre ingenuidade e caráter, até se mostrar surpreendente na sua parte final. O personagem principal, Edgar, vivido muito bem por João Miguel, se mostra com muito caráter. Daqueles que dificilmente será corrompido. Ele é apaixonado por Ritinha, vivida por Leandra Leal. Mas o seu caráter é testado quando recebe a oferta de 5 milhões de reais de um ricaço para casar com a sua filha, que foi estuprada por 5 pessoas. Quem não ficaria tentado com uma oferta dessas? Tentado a aceitar a proposta, Edgar vai descobrindo enquanto isso, verdades que farão toda a diferença, e também de que o ser humano é capaz de tudo para conseguir o que quer.

Além de João Miguel e Leandra Leal, outro ponto forte é Letícia Colin, que vive Maria Cecília, a jovem que foi estuprada. Mais ninfeta, impossível. De rosto angelical, e uma doçura pra lá de encantadora, Letícia é perfeita para o papel. Letícia demonstrou uma entrega enorme ao papel, ao fazer cenas completamente nua ao lado de vários homens, a entrega foi tão grande, que nos esquecemos até que esta linda garota, já apresentou o programa infantil TV Globinho.

Então é isso, bem dirigido e com ótimas atuações e boa trilha e bom roteiro. Bonitinha, Mas Ordinária é um filme que merece ser descoberto, pela surpresa que causa e por mostrar que o cinema nacional pode incluir coisas impactantes em uma história envolvente e bem escrita.

Nota: 8,0

Bonitinha, Mas Ordinária, 2013. Direção: Moacyr Góes. Com: Gracindo Júniot, João Miguel, Leandra Leal, Letícia Colin, Alcemar Vieira, André Valli, Ângela Leal, Beatriz Bertu, Leon Goes. 90 Min. Drama.

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s