Cinema: Faroeste Caboclo

Tentativa de levar um clássico do Legião aos cinemas, peca um pouco.

Tentativa de levar um clássico do Legião aos cinemas, peca um pouco.

Quem for ao cinema esperando ver a música que dá título ao filme, transposta ao pé da letra para tela, irá sofrer uma grande frustração. René Sampaio diretor do filme, ousou em não apresentar um roteiro conhecido por mais de duas gerações, elementos importantes  da história cantada pela Legião Urbana, estão presentes na película, porém de forma bem discreta.  A história do triângulo amoro: João de Santo Cristo X Maria Lúcia x Jeremias é apresentada de uma forma bem mais crua, mais real que a cantada, apesar de alguns tropeços em tentar justificar as escolhas de Maria Lúcia durante o filme. Fabrício Boliveira  nos mostra um João humano que varia de uma pessoa vingativa, que tem o ódio como combustível pra continuar vivendo, a um homem apaixonado e capaz de mudar a vida inteira e se arrepender de todos os seus pecados pra vivenciar em amor. Ísis Valverde, ah Ísis, nada mais acertado que colocar o nome de uma deusa nessa mulher, sempre linda e com muito talento, ela empresta a Maria Lúcia um ar de inocência, e burguesia que a personagem exige e de obstinação quando resolve lutar pelo seu amor. O roteiro peca na primeira metade do filme pela  forma lenta com as coisas acontecem chegando ao ponto de ser enfadonho, por sorte a metade final do filme é forte, violenta, e com grandes interpretações, o que faz o expectador esquecer o lentidão anterior. A fotografia do filme é o grande ponto, os cenários quase que monocromáticos, chamam a atenção de quem esta assistindo, muitas cenas que fazem uso da escuridão, complementam com maestria o sentimento que determinado personagem está vivenciando naquele momento. Como no inicio deste texto, para quem for ao cinema sem um roteiro pré-concebido, o filme é uma boa pedida, não chega a ser um Cidade de Deus, mas é entretenimento de qualidade. Agora quem for esperando ver aquela história com começo, meio e fim entoada por Renato Russo, vai criticar muito o filme.

Nota: 7,0

Direção: René Sampaio. Com: Ísis Valverde, Alex Sander, Fabrício Boliveira, Felipe Abib, Antonio Calloni, Rodrigo Dorta, Marcos Paulo, Andrade Junior, César Troncoso. 100 Min. Drama.

Manoel Gelcimar Delmino de Lima, é Funcionário Público/Acadêmico de Direito e amante da 7ª Arte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s