Cinema: O Concurso

Quarteto principal mostra ótima química em mais um bom exemplar de comédia nacional.

Quarteto principal mostra ótima química em mais um bom exemplar de comédia nacional.

O que se esperar de uma comédia estrelada por Danton Mello e Fábio Porchat? Muitos exageros não só nas piadas, mas também nas caricaturas, grandes risadas, e um total descontrole das situações vivenciadas pelos personagens do filme, e este filme não foge a regra. O público é apresentado a quatro pessoas diferentes que encontram-se na luta para conquistar uma vaga em um concurso público. O Concurso foca seu roteiro nas grandes enrascadas que um grupo formado por quatro finalistas em concurso para uma única vaga no cargo de Juiz Federal. O diretor Pedro Vasconcelos se beneficia do fato de serem quatro concorrentes, para mostrar quatro realidades diferentes de nosso país, ao mostrar as peculiaridades de cada personagem. Além dos já citado Danton Mello e Fabio Porchat, completam o elenco o ator Anderson Di Rizzi e Rodrigo Pandolfo, este último um dos atores mais produtivos do cinema brasileiro em 2013, só este mês o ator pode ser visto em O Concurso como o paulista Bernardinho, e no filme Minha Mãe é uma Peça onde da vida a Juliano, o filho homossexual da personagem principal. De bônus no filme ainda podemos desfrutar da beleza escultural de Sabrina Satto que faz sua primeira empreitada no mundo cinematográfico. Ao meu ver dos quatro personagens, o que mais leva o público a risada e de forma quase que espontânea, é o Bernardo vivido por Rodrigo Pandolfo. O personagem com sua timidez exagerada e com seus problemas de relacionamento, faz com que possamos nos divertir, e é de Bernardo a cena mais ilária do filme. O Caio de Danton Mello, é o típico carioca metido a esperto, mas que sempre se mete em roubada e não consegue sair destas. Anderson Di Rizzi e seu Freitas, é o que podemos chamar de boa praça, aquele personagem batalhador que esta no filme para que involuntariamente o público comece a desenvolver empatia e possamos torcer por ele. Sei que as próximas palavras poderão criar polemicas, mas ao meu ver, Fabio Porchat mais uma vez da vida ao mesmo personagem, acho que a vontade de estar em tudo ao mesmo tempo, está fazendo de Fabio um ator de um único personagem, não que seu trabalho no filme desmereça todo o talento de Fabio. Ele ainda consegue divertir e fazer o público sorrir, só acho que o Rogério Carlos de Fabio Porchat  poderia não ter caído em estereótipos repetitivos. Sabrina Satto faz par romântico com Rodrigo Pandolfo, e mesmo sendo sua primeira personagem no cinema, ela consegue arrancar grandes risadas da platéia. O filme é mais uma grande comédia tupiniquim, que facilmente diverte sem pedir nada em troca.

Nota: 8,0

O Concurso, 2013. Direção: Pedro Vasconcelos. Com: Fábio Porchat, Rodrigo Pandolfo, Sabrina Sato, Danton Mello, Anderson Di Rizzi, Carol Castro. 92 Min. Comédia.

Manoel Gelcimar Delmino de Lima, é Funcionário Público/Acadêmico de Direito e amante da 7ª Arte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s