Cinema: Jurassic Park 3D – O Parque dos Dinossauros

Brilhante, Incrível e Espetacular…

Spielberg e seu parque dos dinossauros.

Spielberg e seu parque dos dinossauros.

Um parque construído por um milionário (Richard Attenborough) tem como habitantes dinossauros diversos, extintos a sessenta e cinco milhões de anos. Isto é possível por ter sido encontrado um inseto fossilizado, que tinha sugado sangue destes dinossauros, de onde pôde-se isolar o DNA, o código químico da vida, e, a partir deste ponto, recriá-los em laboratório. Mas, o que parecia ser um sonho se torna um pesadelo, quando a experiência sai do controle de seus criadores.

Sabe qual a melhor coisa da tecnologia 3D? Esqueça o lance de coisas voando no nosso rosto, e curta a nostalgia e a emoção de poder rever grandes clássicos do cinema, dentro de uma sala de cinema. Depois que surgiu o 3D, tivemos a volta de Toy Story, Titanic, O Rei Leão… e agora chegou a vez de Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros. Ganância dos estúdios para arrecadar mais dinheiro? Talvez… mas nada paga a emoção do cinéfilo de poder ver esses filmes no cinema novamente. E como diz John Hammond: “Bem-vindos ao Jurassic Park.

Cinema é feito de imagens marcantes. Certas cenas, jamais esquecemos. Quando eu era criança, lembro de ter visto a Rede Globo anunciar que iria passar o filme. Posso estar enganado, mas deveria ser no ano de 1997 – 1998 mais ou menos. Lembro de ter visto no anúncio, o T-Rex batendo sua cabeça no jipe, e em seguida urrando. Jamais esqueci aquele urro. E poder ter a oportunidade única de ver este filme na sala escura é incrível. Por já conhecer o filme, ficamos atentos aos mínimos detalhes, e percebemos o quanto Spielberg foi minimalista em querer deixar o seu filme perfeito. Quando avistamos o primeiro dinossauro, ficamos sem acreditar no que vemos, assim como o Dr. Alan Grant ficou. Quando um cineasta consegue fazer com que o espectador fique assim, é porque ele conseguiu ultrapassar a barreira do entretenimento, ele conseguiu nos transportar para dentro da sua história.

O mais esperado do filme, lógico, é a aparição do T-Rex. É nessa hora que notamos de vez, a perfeição dos efeitos sonoros. Alia-se a isso, a trilha sonora de John Williams, e temos assim a criação de cenas e momentos marcantes. Enfim, Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros, não envelheceu nada, e é sempre um prazer poder fazer uma visita neste Parque dos Dinossauros. Vale pela nostalgia e a emoção de reviver um grande clássico do cinema, feito por uma pessoa que ama a sétima arte: Steven Spielberg.

Nota: 10,0

Jurassic Park, 1993. Direção: Steven Spielberg. Com: Sam Neil, Laura Dern, Jeff Goldblum, Richard Attenborough, Bob Peck, Martin Ferrero, Josph Mazzello, Ariana Richards, Samuel L. Jackson. 127 Min. Aventura.

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Cinema: Jurassic Park 3D – O Parque dos Dinossauros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s