Cinema: Interestelar

Física e amor se misturam com os mistérios do espaço no novo trabalho de Nolan.

Física e amor se misturam com os mistérios do espaço no novo trabalho de Nolan.

Criativo e inteligente, Christopher Nolan esbanja com abundância essas qualidades. Seus trabalhos mostram isso. Desde o começo da carreira com Amnésia, passando pela Trilogia do homem-morcego, até chegar ao enigmático e perfeito A Origem, Nolan se consolidou como nome forte da indústria do cinema, e cada trabalho seu gera expectativa e ansiedade por parte do público. Com Interestelar não seria diferente, e aqui temos a oportunidade de conferir mais um grande trabalho do diretor, mesmo que Interestelar tenha pequenas falhas durante o caminho.

Interestelar tem a seguinte história: o Planeta Terra está em crise. A população sofre com falta de comida e pestes que atacam as plantações, além das tempestades de poeira. Devido a todas essas fatalidades, a NASA envia uma missão espacial para explorar novos planetas, e assim encontrar algum que possa substituir a Terra para que a população pudesse viver.

Corajoso e Ousado. Essas qualidades também podem ser aplicadas a Nolan. O diretor faz um trabalho incrível com a história e vai muito além do que poderíamos imaginar. Durante o andamento da história, Nolan trabalha com viagem no tempo, e, pasmem, até com viagem através de dimensões o diretor tem a ousadia de fazer. Não quero dar spoiler para não estragar a experiência de ninguém. Só quero deixar bem claro: Interestelar é ousado, coisa que faltou em Gravidade ano passado. Não queria nem comparar os dois filmes, mas é impossível, já que ambos envolvem espaço, entretanto, enquanto Gravidade fez o simples, Interestelar teve a coragem de arriscar e o resultado foi pra lá de positivo.

O show de direção de Nolan se repete para a atuação de seu elenco, escolhido perfeitamente, diga-se de passagem. Matthew McConaughey está simplesmente perfeito no papel do Engenheiro Espacial (e fazendeiro) Cooper, que tem a missão de pilotar a nave. Vencedor do Oscar de melhor ator deste ano, Matthew mostra uma atuação madura e espetacular. Suas feições, seus sentimentos, tudo é passado com muita veracidade. Quem diria que isso tudo vem de um ator que até alguns anos atrás fazia papéis desinteressantes em filmes bem menores, mas que de um tempo pra cá tem escolhido muito bem seus papéis. Matthew é o coração pulsante de Interestelar. Quem também está ótima e vem se firmando cada vez mais como uma grande atriz de Hollywood é Jessica Chastain. Aqui ela interpreta a filha de Cooper, Murphy. Personagem interessante, já que é mostrada em três estágios de vida, em que, na parte adulta, Jessica dá um show, com uma atuação forte. Quem também está muito bem é Anne Hathaway e Michael Caine. Anne, que inclusive tem uma de suas melhores atuações da carreira, dá para perceber o esforço dela para compor as cenas. Interestelar ainda traz no elenco Casey Affleck, Topher Grace, Wes Bentley e Ellen Burstyn.

Já nas partes técnicas, Interestelar também vai muito bem. A parte de sons do filme está deslumbrante. Sons de decolagem, de explosões, das tempestades de areia… Enfim, de tudo está perfeita. Até a falta de som em algumas cenas do espaço é feita com perfeição, isso em conjunto com a edição do filme. Efeitos especiais, primorosos. E uma fotografia espetacular, em que a recriação do Universo é simplesmente de cair o queixo. Perfeita.

As pequenas falhas a que me referi no início do texto? A reta final do roteiro, que foi escrito por Jonathan Nolan com supervisão de um astro físico, na qual certas soluções são resolvidas facilmente e a trilha sonora. É com uma dor no coração que falo isso, eu que sou um grande fã do trabalho de Hans Zimmer, mas dessa vez a trilha faltou algo. Algumas passagens a trilha está muito boa, mas em outras, Hans Zimmer exagera demais… nem parece trabalho dele em alguns momentos. É uma pena. Mesmo com esses defeitos, o filme e a experiência que ele causa não são estragados.

Interestelar é daqueles filmes inteligentes, que você sai do cinema dialogando e debatendo sobre ele. Ultimamente não temos tantos filmes assim. E Nolan tem feito isso pelo público. Filmes grandiosos, inteligentes e que fazem a plateia pensar… e pensar muito. Nolan faz cinema para poucos, mas de alta qualidade.

Nota 9

Interstellar, 2014. Direção: Christopher Nolan. Com: Matthew McConaughey, Anne Hathaway, Jessica Chastain, Michael Caine, David Gyasi, Casey Affleck, Mackenzie Foy, Wes Bentley, Ellen Burstyn, John Lithgow. 169 Min. Ficção Científica.

ass_evilmar

ass_nayara

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s