Cinema: Entre Abelhas

Membros do Porta dos Fundos levam as telas filme de drama que aborda depressão

Membros do Porta dos Fundos levam as telas filme de drama que aborda depressão

Com elenco encabeçado por Fábio Porchat, e contando ainda com Luis Lobianco, Marcos Veras, Leticia Lima e dirigido por Ian SBF, a galera do Porta dos Fundos estreia um filme no cinema. Mas engana-se quem acha que se trata de uma comédia. O filme tem sim uma parte de humor, mas é no drama em que ele se torna mais forte. Não é errado dizer que Entre Abelhas é o que chamamos de “dramédia”.

No filme somos apresentados a Bruno (Fábio Porchat), que está em sua despedida de casado, como ele mesmo diz. Bruno está em processo de separação da esposa, Regina (a linda, Giovanna Lancellotti), mas o mesmo ainda é apaixonado por ela. Bruno sofre muito com a separação, podemos observar momentos de depressão do personagem, mas filmados com muito cuidado pelo diretor Ian SBF. E para complicar mais ainda a situação de Bruno, ele começa a deixar de ver algumas pessoas. Motorista de taxi, uma senhora na rua, atendente de lanchonete… até das fotos as pessoas estão sumindo. É aí que o filme ganha ótimos contornos dramáticos.

Vale ressaltar a ótima atuação de Fábio Porchat, que quem diria, surpreende no papel. Aos poucos o ator consegue nos envolver na história, fazendo-nos compadecer da sua situação. O seu personagem procura ajuda psiquiátrica e até a mãe (Irene Ravache) tenta ajudá-lo, contratando um atendente de pizzaria (Luis Lobianco) para usá-lo em testes e fazer o filho enxergar novamente.

O filme transita muito bem entre a comédia e o drama. No início, Porchat é exagerado e seu lado cômico é perceptível, porém o ator passa para o drama no momento exato. O lado cômico do filme fica por conta do amigo de Bruno, vivido por Marcos Vera, e pelo atendente de pizzaria, Luis Lobianco.

Na parte técnica, Entre Abelhas oferece excelente recursos visuais, além de uma bela fotografia. Cenas como a de Bruno caminhando em uma rua deserta ou, a melhor de todas, quando ele está procurando uma pessoa na chuva, são lindas. Atenção também para a trilha sonora, perfeita em cada cena do longa.

O final do filme talvez desagrade a algumas pessoas. Mas Entre Abelhas tem uma narrativa ousada e inovadora, e que dá gosto de ver. Diferente da maioria dos filmes nacionais que ganham as salas de cinemas, Entre Abelhas nos faz refletir e discutir sobre a história. O longa vale cada minuto. Parabéns aos envolvidos do Porta dos Fundos, que ao invés do óbvio humor escrachado, fizeram diferente. E o resultado é um ótimo filme.

Nota 9

Entre Abelhas, 2015. Direção: Ian SBF. Com: Fábio Porchat, Irene Ravache, Marcos Veras, Luis Lobianco, Giovana Lancellotti, Leticia Lima.

ass_evilmar

ass_nayara

2 pensamentos sobre “Cinema: Entre Abelhas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s