Cinema: O Pequeno Príncipe

O Pequeno Princípe

Chega aos cinemas uma das animações mais esperadas do ano: O Pequeno Príncipe. O filme do diretor Mark Osborne não é uma reprodução propriamente dita da obra-prima de Saint-Exupéry, faz uma mescla com situações dos dias atuais, mas não se preocupem, porque o essencial está presente.

A animação gira em torno de uma garota que tem uma mãe não muito presente, mas que é obcecada em manter a vida da filha regrada. A garota conhece um vizinho, o idoso aviador que anos atrás esteve perdido no deserto e conheceu o pequeno príncipe, é nesse ponto que as histórias começam a se encontrar.

O roteiro de O Pequeno Príncipe é bastante didático. Apesar do filme conter uma mensagem difícil de ser compreendida totalmente pelas crianças, os envolvidos pensaram nos pequeninos que irão ver o filme. Didática no sentido de ter dois tipos de animação em um só filme. Quando a história se passa no presente, observamos os efeitos computadorizados em cena, quando estamos observando a história do pequeno príncipe que vive sozinho em um asteroide e viaja pelo espaço para depois encontrar um aviador no deserto, entra em cena a animação em stop-motion. Diga-se de passagem, a utilização dos dois estilos de animação, além de importante para nos situar na história, é de uma beleza incrível o contraste causado pelas duas.

Outro ponto interessante para analisar são as cores utilizadas pela animação. Observe que enquanto a garota vive uma vida regrada organizada pela mãe, sem espaço para ter amizades e fazer coisas que a divirta, tudo ao seu redor recebe uma coloração cinzenta. Quando ela conhece o aviador, e se transforma em sua amiga, e os dois começam a compartilhar momentos, tudo é mais colorido, existe mais vida no ar. Mas só para lembrar, O Pequeno Príncipe não é a primeira animação que utiliza esse tipo de estilo de cores. Só para citar um exemplo, À Noiva Cadáver já utilizou a mesma técnica e também foi um resultado excepcional.

A mensagem que o roteiro do filme passa é fantástica. Talvez os pequenos não a compreendam por inteiro, mas os adultos a entenderão. A mensagem deixada de que é importante termos sonhos a percorrer, e que mais importante ainda é não deixar esses sonhos serem esquecido. Existe uma parte do filme, quando a garota vai à procura do príncipe e quando ela o encontra, essa parte me causou bastante impacto. Nessa cena vem à tona muito dessa mensagem, passado e presente se encontram, mas aprendemos que nunca é tarde para sonhar.

Personagens essenciais e cativantes fazem de O Pequeno Príncipe um filme lindo com a mensagem que quer passar e belo com as técnicas utilizadas. Um filme que emociona com a linda trilha sonora de Hans Zimmer e que nos faz refletir sobre nossa vida com o seu belo roteiro. Uma fábula linda e que ao final é difícil segurar as lágrimas.

Nota 9

The Little Prince, 2015. Direção: Mark Osborne. Com as vozes originais de: Rachel McAdams, Paul Rudd, James Franco, Marion Cotillard, Mackenzie Foy, Paul Giamatti, Benicio Del Toro, Jeff Bridges, Ricky Gervais. 108 Min. Animação.

ass_evilmar

ass_nayara

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s