Cinema: Spotlight – Segredos Revelados

Spotlight - Segredos Revelados

De vez em quando o cinema gosta de retratar histórias de jornalismo investigativo. De roteiros originais, como Intrigas de Estado, a baseado em fatos reais, como Zodíaco, o certo é que quase todos geram ótimos filmes. Spotlight: Segredos Revelados é um filme baseado em fatos reais, envolvendo abuso sexual infantil partindo de uma das instituições mais poderosas do mundo: a Igreja Católica.

Para entender o filme somos jogados dentro da redação do jornal Boston Globe e conhecemos a equipe editorial chamada Spotlight. Essa equipe trabalha em matérias investigativas, na qual demoram muito tempo para serem publicadas devido a todo o tramite que uma matéria dessas tem: levantamento de dados, entrevistas, apuração dos fatos, investigações etc. O jornal recebe um novo editor-chefe, Marty Baron (Liev Schreiber), que, ao chegar, pede para a equipe Spotlight investigar um caso de pedofilia na cidade de Boston, em que o acusado é um padre.

A partir daí a equipe encabeçada por Walter Robinson (Michael Keaton) começa as investigações. Mike Rezendes (Mark Ruffalo), Sacha Pfeiffer (Rachel McAdams) e Matt Caroll (Brian d’Arcy) se debruçam no assunto a ponto de não dormirem direito. A cada descoberta, outra coisa vai aparecendo e eles percebem que aquele padre que eles começaram a investigar é apenas a ponta do iceberg, numa trama que envolve poder e dinheiro.

O maior acerto de Spotlight: Segredos Revelados é porque o filme fica centrado na instituição da igreja católica. Em nenhum momento o filme questiona a fé, o filme apenas vai mostrando a caça a pessoas que estariam envolvidas em pedofilia. Isso fica mais claro quando um dos personagens diz: “A igreja católica é uma instituição e uma instituição é formada por homens, logo, pode cair”. Os dados informados durante o longa são assustadores. A cada nova descoberta ficamos mais surpresos. Na sessão em que eu estava, era notório ver o público se espantando com cada nova descoberta revelada pela equipe Spotlight.

O filme é uma aula de jornalismo investigativo, com todo aquele charme de ir atrás da notícia. Nada de sangue e tiro. É nítido no roteiro o uso de teorias como gatekeeper, newsworthness, entre outras. Observamos de perto o nascimento de uma notícia, desde seu início.

Para dar vida a esses personagens, um grande elenco foi reunido. Michael Keaton está ótimo como o chefe da equipe Spotlight. O ator que renasceu na carreira graças ao sucesso de Birdman ano passado, aqui dá prosseguimento a ótima fase em que vive. Ele entrega um personagem que consegue tirar o melhor da sua equipe. Rachel McAdams tem a sua melhor atuação da carreira, mostrando em sua personagem uma força incrível, apesar de parecer frágil. Por fim, temos a melhor atuação do filme, a de Mark Ruffalo, em que percebemos que ele é quem mais fica envolvido e tocado com a história. Mark inclusive tem uma cena impecável, na qual ele esbraveja com seu chefe. É por essas e outras que Spotlight: Segredos Revelados vai forte para o Oscar.

O filme é dirigido por Tom McCarthy que não tinha feito nada de relevante até aqui. Seu filme mais famoso foi Trocando os Pés, estrelado por Adam Sandler. Aqui em Spotlight ele tem uma direção impressionante, com planos e tomadas perfeitas, o diretor consegue fazer passar tanta coisa na nossa cabeça, em cenas que mostram crianças cantando em coral de igreja ou crianças que foram abusadas. Simplesmente fantástica a sua direção. O filme também tem uma trilha sonora ótima e um design de produção que recriou o início dos anos 2000 perfeitamente bem.

Essa matéria investigativa foi vencedora de um Pulitzer, o Oscar do Jornalismo americano. A própria equipe da Spotlight escreveu um livro e que virou este filmaço que agora caminha para a maior premiação do Cinema.

Um soco no estomago até nos créditos finais. Spotlight: Segredos Revelados é corajoso ao mostrar o lado podre de algumas pessoas envolvidas na instituição igreja. Um filme visceral que nos faz perder um pouco mais de fé na humanidade.

Nota 10

Spotlight, 2015. Direção: Tom MacCarthy. Com: Mark Ruffalo, Michael Keaton, Rachel McAdams, Liev Schreiber, John Slattey, Brian d’Arcy, Stanley Tucci. 128 Min. Drama.

ass_evilmar

ass_nayara

Um pensamento sobre “Cinema: Spotlight – Segredos Revelados

  1. Não é preciso estômago pra ver o leve #Spotlight. O filme trata de jornalistas montando uma matéria sobre padres pedófilos, a quantidade deles e dos agredidos numa cidade. Já #Michael, de Markus Schleinzer (Áustria, 2011), precisa de muito, e põem muito mais estômago… pra acompanhar a rotina e o dia a dia de um pedófilo que mantém uma criança em cárcere privado no porão de sua casa, ao seu bel-prazer. Aí sim precisa de muito, mas muito estômago… E fora que não se esquece mais o que se vê no filme. Vc leva o choque, o desconforto, a raiva, a ira e a vontade de fazer justiça pro resto da vida.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s