A Grande Beleza

brando

Bons atores e atrizes se constroem em ação. Trata-se de uma arte do fazer. Não é uma atividade intelectual, científica ou espiritual. É uma atividade prática. Uma técnica que se adquire à medida em que os trabalhos vão surgindo e as experiências de vida vão se acumulando. Claro que há atores instantâneos, que já nasceram praticamente prontos. Mas essa é a exceção que confirma a regra. E mesmo os talentos naturais podem ser aperfeiçoados com o tempo. Na maioria dos casos, o bom ator é fruto do tempo. E o mau ator também é fruto do tempo. Só saberemos se um ator ou atriz são bons após alguns anos.

No início, o narcisismo, gêmeo da insegurança, dificulta a boa atuação. A falta de confiança, aliada à vaidade excessiva, e uma descomunal necessidade de aprovação, minam a força do ator. Com o tempo, a tendência é ganhar confiança que, em equilíbrio com a onipresente insegurança de todo artista, transforma potência em ato. A confiança liberta e a insegurança humaniza. Aí o ator começa a ficar interessante. O perigo é quando a confiança se agiganta e a insegurança se camufla num estágio de vaidade agressiva. Estado muito comum quando atores se tornam celebridades. A despeito de uma insegurança sempre presente, o trabalho se torna um pretexto para uma relação narcísica e egocêntrica com o mundo, o que desumaniza até os maiores talentos.

E quando um ator pode ser considerado ruim? Se depois de várias experiências o ator ainda atua mal, aí sim podemos afirmar que é de fato ruim. Porém esta é uma avaliação sempre subjetiva. O que é considerado bom para “A”, pode ser considerado ruim para “B”. E assim sucessivamente. Sem falar nos altos e baixos inerentes à carreira de qualquer ator. Voltamos à estaca zero. Nenhum ator ou atriz jamais saberá se é de fato bom. Nunca haverá certezas. Essa é a grande beleza da arte do ator.

ass_felipe

ass_nayara

Anúncios

FREDDY KRUEGER: 30 anos de um dos maiores ícones do Cinema de Terror

Personagem clássico completa 30 anos desde o Clássico A Hora do Pesadelo de 1984

Em novembro de 1984 estreava nos Cinemas A Hora do Pesadelo, filme de terror dirigido e criado por Wes Craven, o filme traz um dos personagens mais famosos e cultuados do terror, Freddy Krueger! Vamos passar a limpo a caminhada de Krueger no cinema, e saber quais os melhores e piores filmes da franquia!

A Hora do Pesadelo (1984)

Sinopse: Um grupo de adolescentes tem pesadelos horríveis, onde são atacados por um homem deformado com garras de aço. Ele apenas aparece durante o sono e, para escapar é preciso acordar. Os crimes vão ocorrendo seguidamente, até que se descobre que o ser misterioso é na verdade Freddy Krueger, um homem que molestou crianças na rua Elm e que foi queimado vivo pela vizinhança. Agora Krueger, pode retornar para se vingar daqueles que o mataram, através do sono.

A Hora do Pesadelo

Opinião do Editor: Wes Craven cria um clássico que consegue sobreviver até hoje em muitos aspectos. Trilha sonora, atmosfera do filme, juntos a um roteiro bem amarrado fazem a história ser interessante até hoje, apesar de alguns efeitos parecerem mal feitos (lembre-se que o ano era 1984). Freddy é sarcástico, horripilante e aterrorizante. Em 1984 nascia Freddy Krueger, e junto com ele um clássico do cinema de terror. O filme ainda conta com Johnny Depp em início de carreira.

Nota 9

A Hora do Pesadelo 2: A Vingança de Freddy (1985)

Sinopse: Cinco anos se passaram desde que Freddy Krueger foi enviado de volta ao inferno. Mas agora um garoto novo na Rua Elm é quem tem sido assombrado todas as noites por horríveis visões deste ser maligno. E se sua alma perturbada finalmente conseguir possuir o corpo do garoto, Freddy retornará dos mortos para dar continuidade aos sangrentos assassinatos e descarregar sua ira e violência sobre toda a cidade.

A Hora do Pesadelo Parte 2 - A Vingança de Freddy

Opinião do Editor: Uma sequência que seria melhor nem existir. Freddy deixando o sarcasmo de lado? Freddy tentando possuir um corpo para matar no seu lugar? Esse não é o Freddy que eu conheço! Fora isso, o elenco é muito fraco, e o filme tem cenas muito mal feitas. Para piorar, até um clima de romance tentam criar entre os protagonistas, mas nada funciona. Uma das poucas coisas que se salvam é a trilha sonora.

Nota 4

A Hora do Pesadelo 3: Os Guerreiros dos Sonhos (1987)

Sinopse: Os sobreviventes dos últimos ataques de Freddy Krueger estão agora em um hospital psiquiátrico, e o doutor Neil Gordon tem a esperança que através de Nancy Thompson ele consiga encontrar a cura para esses jovens atormentados.

A Hora do Pesadelo 3 - Os Guerreiros dos Sonhos

Opinião do Editor: Com um elenco de melhor qualidade com nomes como o de Patrícia Arquette e Lawrence Fishburne, a terceira parte de A Hora do Pesadelo ainda conta com Heather Langenkamp reprisando o papel de Nancy, protagonista e sobrevivente do original. Bom roteiro, com cenas bem elaboradas, o filme traz de volta o Freddy que conhecemos. O longa também aproveita para contar a origem de Freddy, onde descobrimos que sua mãe, Amanda Krueger, foi estuprada centenas de vezes por maníacos e acabou ficando grávida. O único erro e exagero do filme é a cena do esqueleto no final… totalmente desnecessária.

Nota 8

A Hora do Pesadelo 4: O Mestre dos Sonhos (1988)

Sinopse: Freddy Krueger retorna mais uma vez do mundo dos mortos, desta vez para matar um a um os amigos de Kristen, uma garota paranormal que tenta descobrir uma maneira de acabar de vez com o terrível monstro dos sonhos.

A Hora do Pesadelo 4 - O Mestre dos Sonhos

Opinião do Editor: Mais um exemplar fraco da franquia. O roteiro absurdo se sustenta nos três sobreviventes do terceiro filme, que seriam os últimos filhos dos pais que mataram Freddy. Sendo que a personagem Kristen, que no anterior foi vivida por Patrícia Arquette, aqui foi substituída por outra atriz. Porém, o elenco é fraco e o filme acaba sendo mais do mesmo. Ponto positivo do filme é trazer a protagonista mais bonita da franquia, Lisa Wilcox.

Nota 5

A Hora do Pesadelo 5: O Maior Horror de Freddy (1989)

Sinopse: Incapaz de afetar a sobrevivente do filme anterior, Freddy Krueger parte para outro tipo de plano: atacar seu filho, enquanto ele ainda não tem como se defender.

A Hora do Pesadelo 5 - O Maior Horror de Freddy

Opinião do Editor: Este filme é um dos maiores absurdos da história do cinema… Freddy tenta invadir os sonhos do filho que a protagonista está esperando… sem falar que aqui Freddy começa a ficar desmoralizado! “Super Freddy”? Tem certas coisas que não precisam acontecer. Com certeza um dos piores exemplares da franquia!

Nota 3

A Hora do Pesadelo 6: Pesadelo Final – A Morte de Freddy (1991)

Sinopse: John Doe é o único sobrevivente da região onde Freddy Krueger atacava. Analisado por uma psicóloga, o jovem afirma ser o filho de Freddy. Ela consegue penetrar na mente do rapaz e tenta fazer com que ele volte à sua normalidade mental.

A Hora do Pesadelo 6- Pesadelo Final - A Morte de Freddy

Opinião do Editor: Com certeza é o pior da franquia e um dos piores filmes da história do cinema. Aqui descobrimos que Freddy tinha esposa e filha. Mas o roteiro é de um absurdo tão grande que chega a ser uma ofensa à inteligência do espectador. O pior elenco da franquia, só ajuda a piorar o filme. Até Robert Englund soa exagerado, já que o filme parece mais um stand up de Freddy Krueger. Enfim, esse filme bem que poderia nem existir. Johnny Depp volta à franquia em uma participação em apenas uma cena, que mostra que ele voltou apenas por gratidão, mas não pela qualidade do filme.

Nota 1

O Novo Pesadelo: O Retorno de Freddy Krueger (1994)

Sinopse: Depois de aterrorizar os moradores da Rua Elm Street em seus sonhos, Freddy Krueger descobriu uma maneira de invadir o mundo real, causando um novo tipo de preocupação para os moradores da famosa rua.

O Novo Pesadelo- O Retorno de Freddy Krueger

Opinião do Editor: A Franquia A Hora do Pesadelo foi ao fundo do poço. Depois de o primeiro filme virar um clássico do cinema, as últimas continuações eram cada uma pior do que a outra. E quem poderia salvar um dos personagens mais icônicos da história do Cinema? O seu criador, Wes Craven! Wes Craven retorna à franquia, e cria um dos melhores filmes do personagem, onde o terror trash dá lugar a um ótimo filme de terror psicológico.

Nota 8

A Hora do Pesadelo (2010)

Sinopse: Um grupo de adolescentes suburbanos compartilha um vínculo: todos estão sendo perseguidos por Freddy Krueger, um assassino horrivelmente desfigurado que os caça durante seus sonhos. Quando acordados, eles protegem uns aos outros, mas quando estão dormindo, não há escapatória.

A Hora do Pesadelo (Remake)

Opinião do Editor: O remake faz referências a várias cenas do clássico de 1984. Aqui as cenas de mortes são mais elaboradas e o filme consegue criar um clima de tensão muito bom. Porém, o filme tem um erro inadimissível: fazer Freddy Krueger parecer inocente em boa parte do filme. Wes Craven criador do personagem não teve envolvimento nenhum nesse remake, mas deu uma bela de uma cutucada no filme quando realizou Pânico 4.

Nota 6

Mesmo entre altos e baixos, Freddy Krueger é referência quando o assunto é terror… e não se assuste caso você sonhe com crianças pulando corda e cantando: “Um, dois, Freddy vem te pegar… Três, quatro, feche bem o quarto… Cinco, Seis, pegue o crucifixo… Sete, oito, fique acordado até tarde… Nove, dez, não durma nenhuma vez…

ass_evilmar

ass_nayara

A volta dos grandes Clássicos

Cinema do Dragão trazendo grandes clássicos as telas de cinema.

Festival Farol homenageou o Cinema Americano da década de 70 com grandes clássicos.

Reaberto a pouco mais de um ano, o Cinema do Dragão: Fundação Joaquim Nabuco vem proporcionando ao público a oportunidade de ver grandes clássicos das décadas passadas. E a consagração acontece com o Farol: Festival Internacional de Cinema de Fortaleza.

Já pensou em ter a oportunidade de ver filmes de gênios da direção como Hitchcock e Kubrick na telona? Ou ainda acompanhar clássicos da magnitude de O Poderoso Chefão e O Exorcista dentro de uma sala de cinema. O Cinema do Dragão aposta nessa proposta, e o público vem respondendo com êxito essa ótima alternativa. No meio de tantos cinemas multiplex que tomam conta das cidades com os blockbusters de hoje em dia, é sempre importante reverenciar e homenagear os grandes filmes da história, além de proporcionar a oportunidade única para os cinéfilos de ver esses filmes na nossa segunda casa: uma sala de cinema.

Pedro Azevedo

Pedro Azevedo

“A gente sentia falta de um espaço que tentasse travar uma agenda de estreia, que fosse mais radical e concentrasse filmes de todos os lugares do mundo.” (Pedro Azevedo, programador do Cinema do Dragão)*.

O Cinema do Dragão: Fundação Joaquim Nabuco já exibiu filmes como Um Corpo Que Cai (1958) e Os Pássaros (1963) ambos de Hitchcock; Laranja Mecânica (1971), um dos filmes mais impactantes de todos os tempos; Hiroshima, Meu Amor (1959); entre outros. E agora no mês de Setembro com o Farol, tivemos a Mostra: Retrospectiva Cinema Americano Anos 70. Os clássicos exibidos foram Taxi Driver (1976), O Exorcista (1973), Os Embalos de Sábado à Noite (1977) e O Poderoso Chefão (1972).

“Eu acho que o Cinema do Dragão está inovando bastante. Em relação aos clássicos, é uma oportunidade da gente viver aquela emoção de como se estivesse assistindo a primeira vez na época.” (Rita, sobre Os Embalos de Sábado à Noite)*.

ingresso

“Filme bom, provoca efeito surpreendente. Inquieta. Poderoso Chefão é uma obra completa. Enredo envolvente. Personagens completos e instigantes. Na minha condição de fã da obra, minhas palavras podem ser questionáveis, mas meu encantamento é sólido. Parabéns á equipe do Festival Farol por oferecer uma programação tão bela e viva. Um brinde a Coppola! ‘Eterno padrinho'”. (Helena Barbosa, produtora cultural)*.

Os clássicos fizeram jus aos rótulos. Os ingressos para as sessões únicas rapidamente esgotaram, entre eles, O Exorcista, que inclusive o cinema abriu uma sessão extra em sua outra sala no mesmo horário, às 23:00. Tudo para ajudar na atmosfera do filme.

Cinéfilo e blogueiro, eu que vos falo, confesso que achava que nunca veria esses grandes clássicos na telona. Ainda bem que o Cinema do Dragão está com esta proposta. Ver a genialidade de Hitchcock foi incrível. Acompanhar O Exorcista (meu filme de terror preferido) foi indescritível. Ver O Poderoso Chefão e Laranja Mecânica também foi muito bom.

Agora o público torce para que outros clássicos voltem às telonas. O Cinema do Dragão: Fundação Joaquim Nabuco está de parabéns pela sua programação, que além de clássicos, aposta também em filmes independentes para a sua programação.

*Depoimentos retirados da Fanpage do Cinema do Dragão

ass_evilmar

ass_nayara

Especial: Dia Internacional do Beijo #4

Relembrar as cenas mais marcantes do cinema sempre é muito bom. E o beijo representado nas telas, é uma das coisas mais marcantes em um filme. Nesse Dia Internacional do Beijo, relembramos mais dez filmes e seus momentos inesquecíveis.

Amanhecer: Parte 2*

Robert Pattinson e Kirsten Stewart

Robert Pattinson e Kristen Stewart

E para muitos esse foi o momento do fim, mas para quem acompanhou arduamente a saga, isso foi apenas o começo de uma história que continuará nas nossas memórias, nossa imaginação… O amor impossível e incontrolável de Edward Cullen e Isabella Swan, ficará eternizado na memória de quem é fã…
(Descrição feita por Cinthya Paixão, amante do cinema e da saga Crepúsculo)

Antes do Amanhecer

Julie Delpy e Ethan Hawke

Julie Delpy e Ethan Hawke

Um rapaz decidido, fisgado por uma bela dama a primeira vista. É assim que Jesse se sente ao decidir flertar com Celine, e assim se inicia uma das maiores histórias de amor do cinema.

Casablanca

Humphrey Bogart e Ingrid Bergman

Humphrey Bogart e Ingrid Bergman

Um amor impossível, mas com todas as pitadas de romance que o cinema oferece. É assim que o casal Rick e Ilsa são movidos por todo o filme Casablanca, um grande clássico do cinema.

Enrolados

Flynn Rider e Rapunzel

Flynn Rider e Rapunzel

Depois de toda uma aventura, com pitadas de drama e comédia, a lágrima de Rapunzel salva o seu grande amor Flynn Rider de um destino cruel, e assim eles vivem felizes para sempre.

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

Kate Winslet e Jim Carrey

Kate Winslet e Jim Carrey

Um sujeito solitário, tímido… até que encontra uma garota que corresponde a todas as suas expectativas. Mas um belo dia, ela passa por um tratamento para esquecê-lo. Desesperado ele faz o mesmo. Brilho Eterno é uma das histórias de amor mais revolucionárias e incríveis que o cinema já produziu.

Namorados Para Sempre

Ryan Gosling e Michelle Williams

Ryan Gosling e Michelle Williams

O título do filme em português engana. Namorados Para Sempre mergulha a fundo em relação que vai desde os primeiros flertes do casal, passando pelo melhor momento dos dois, até chegar no momento em que eles já não suportam viver um com o outro. Um filme dramático, mas verdadeiro. Mas a lembrança do amor de Dean e Cindy nos melhores momentos do relacionamento ficam marcados na nossa memória.

Um Dia

Jim Sturgess e Anne Hathaway

Jim Sturgess e Anne Hathaway

Dizem que os melhores relacionamentos nasce da amizade. O casal Emma e Dexter demoraram, mas finalmente conseguiram viver um grande, porém curto, amor…

Romeu + Julieta

Claire Danes e Leonardo DiCaprio

Claire Danes e Leonardo DiCaprio

O diretor Baz Luhrmann retrata de maneira inovadora uma das mais conhecidas histórias de Shakespeare, sem deixar de lado a paixão, e o amor impossível de Romeu e Julieta.

Harry Potter e a Ordem da Fênix

Daniel Radcliffe e Katie Leung

Daniel Radcliffe e Katie Leung

Harry Potter sempre enfrentou grandes batalhas desde criança. E quando a adolescência chegou, os fãs da saga aguardavam ansiosos pelo primeiro beijo do herói. E a linda Cho foi a grande escolhida.

O Lado Bom da Vida

Bradley Cooper e Jennifer Lawrence

Bradley Cooper e Jennifer Lawrence

Dois desajustados. Uma viúva, o outro largado pela mulher e com isso ficou meio pirado. São esses caminhos da vida que fazem Pat e Tiffany se cruzarem, e assim vivem uma diferente, inusitada e louca história de amor.

Então é isso… ano que vem voltamos para relembrar mais dez momentos marcantes nos cinemas…

*Agradeço a minha grande amiga Cinthya Paixão que colaborou neste post, com a descrição de um dos seus filmes preferidos: Amanhecer: Parte 2.

Encerro este post, com uma frase do filme Diana“Em algum lugar entre o certo e o errado, existe um jardim. Encontrarei você lá.

Assuntos Relacionados:

Especial: Dia Internacional do Beijo #1
Especial: Dia Internacional do Beijo #2
Especial: Dia Internacional do Beijo #3

ass_evilmar

7 Assassinos em série que fizeram história no Cinema

Eles já levaram tiros, machadadas, facadas… já foram queimados, atropelados, decepados, afogados, enforcados… já foram atingidos por  vasos, sofá, pedaços de madeira, torpedos, cadeiras, estante, televisão… enfim, mas mesmo assim eles continuam circulando entre nós… confira abaixo alguns dos assassinos em série mais famosos do cinema!

Jason Voorhees

Jason

Assassinatos: 158
Filmografia: Sexta-Feira 13 (1980); Sexta-Feira 13 – Parte 2 (1981); Sexta-Feira 13 – Parte 3 (1982); Sexta-Feira 13 – Capítulo Final (1984); Sexta-Feira 13 – Parte 5: Um Novo Começo (1985); Sexta-Feira 13 – Parte 6: Jason Vive (1986); Sexta-Feira 13 – Parte 7: A Matança Continua (1988); Sexta-Feira 13 – Parte 8: Jason Ataca Nova York (1989); Jason Vai Para o Inferno: A Última Sexta-Feira (1993); Jason X (2001); Freddy x Jason (2003); Sexta-Feira 13 (2009).

Michael Myers

Michael Myers

Assassinatos: 111
Filmografia: Halloween: A Noite do Terror (1978); Halloween 2: O Pesadelo Continua (1981); Halloween III: A Noite das Bruxas (1982); Halloween 4: O Retorno de Michael Myers (1988); Halloween 5: A Vingança de Michael Myers (1989); Halloween 6: A Última Vingança (1995); Halloween H20: Vinte Anos Depois (1998); Halloween: Ressurreição (2002); Halloween: O Início (2007); Halloween II (2009).

Freddy Krueger

Freddy Krueger

Assassinatos: 43
Filmografia: A Hora do Pesadelo (1984); A Hora do Pesadelo – Parte 2: A Vingança de Freddy (1985); A Hora do Pesadelo 3: Os Guerreiros dos Sonhos (1987); A Hora do Pesadelo 4: O Mestre dos Sonhos (1988); A Hora do Pesadelo 5: O Maior Horror de Freddy (1989); A Hora do Pesadelo 6: Pesadelo Final – A Morte de Freddy (1991); Freddy x Jason (2003); A Hora do Pesadelo (2010).

Pinhead

Pinhead

Assassinatos: 41
Filmografia: Hellraiser: Renascido do Inferno (1987); Hellraiser II: Renascido das Trevas (1988); Hellraiser III: Inferno na Terra (1992); Hellraiser IV: Herança Maldita (1996); Hellraiser: Inferno (2000); Hellraiser: Caçador do Inferno (2002); Hellraiser 7: O Retorno dos Mortos  (2005); Hellraiser 8: O Mundo do Inferno (2005).

Ghostface

Ghostface

Assassinatos: 34
Filmografia: Pânico (1996); Pânico 2 (1997); Pânico 3 (2000); Pânico 4 (2011).

Chuck

Chuck

Assassinatos: 32
Filmografia: Brinquedo Assassino (1988); Brinquedo Assassino 2 (1990); Brinquedo Assassino 3 (1991); A Noiva de Chuck (1998); O Filho de Chuck (2004).

Leatherface

Leatherface

Assassinatos: 24*
Filmografia: O Massacre da Serra Elétrica (1974); O Massacre da Serra Elétrica – Parte 2 (1986); O Massacre da Serra Elétrica 3 (1990); O Massacre da Serra Elétrica: O Retorno (1994); O Massacre da Serra Elétrica (2003); O Massacre da Serra Elétrica: O Início (2006).

*As mortes de O Massacre da Serra Elétrica 3D: A Lenda Continua (2013), não foram computados.

Então é isso, agora é aproveitar essa sexta-feira 13 e ver ou rever alguns desses filmes… se divirtam!

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.

Especial: Dia Internacional do Beijo #3

E mais uma vez o Claquetes traz para você 10 cenas de beijo, no Dia Internacional do Beijo. Vamos relembrar mais 10 filmes que tem nesse momento uma de suas melhores partes:

Ghost: Do Outro Lado da Vida

Demi Moore e Patrick Swayze.

Demi Moore e Patrick Swayze.

Ao som de “Unchained Melody”, temos uma cena marcante da história do cinema, entre Molly e Sam no clássico Ghost: Do Outro Lado da Vida.

As Pontes de Madison

Meryl Streep e Clint Eastwood.

Meryl Streep e Clint Eastwood.

Se você quiser que eu pare, fale agora.“, diz Robert. “Não ouço ninguém falar nada.” responde Francesca. Precisa dizer mais alguma coisa?

A Dama e o Vagabundo

Dama e Vagabundo.

Dama e Vagabundo.

Animação sempre emociona. E com uma cena tão bem montada, nasce uma cena clássica do gênero, com a Dama e o Vagabundo comendo macarrão, e terminando com um beijo pra lá de levado.

Penetras Bons de Bico

Rachel McAdams e Owen Wilson.

Rachel McAdams e Owen Wilson.

Por mais festeiro que você seja, o que fazer quando a pessoa certa aparece em sua vida? John se declara em meio a um casamento e Claire não resiste.

Scott Pilgrim Contra o Mundo

Mary Elizabeth Winstead e Michael Cera.

Mary Elizabeth Winstead e Michael Cera.

Para enfrentar 7 ex-namorados, a garota tem que valer muito a pena… e Ramona com certeza vale muito a pena, e Scott Pilgrim aceita o desafio para ficar com a sua amada.

Digam o Que Quiserem

Ione Skye e John Cusack.

Ione Skye e John Cusack.

Simpático, tímido, porém com um coração de ouro. Essas são as armas de Lloyd para conquistar Diane.

O Pecado Mora ao Lado

Tom Ewell e Marilyn Monroe.

Tom Ewell e Marilyn Monroe.

Ninguém resiste ao charme e beleza da grande musa Marilyn Monroe. Nem Richard, que mesmo casado não resiste ao charme da “Garota”, nesse clássico do cinema.

Drive

Carey Mulligan e Ryan Gosling.

Carey Mulligan e Ryan Gosling.

Em uma cena bastante poética, temos um homem pacato, porém violento o Driver, não resistindo ao amor com a bela Irene, em uma cena bastante bonita em um elevador.

Cartas Para Julieta

Amanda Seyfried e Christopher Egan.

Amanda Seyfried e Christopher Egan.

Rever a vida, e perceber que encontrou o grande amor da sua vida, faz com que Sophie corra ao encontro de Charlie em Cartas Para Julieta.

O Maskára

Cameron Diaz e Jim Carrey.

Cameron Diaz e Jim Carrey.

Cameron Diaz em seu papel mais sensual no cinema, entrega um Tina que parece só querer se aproveitar, porém conhece Stanley, que as vezes se transforma no Maskára, e aí, ninguém segura este “herói”

Sempre é bom relembrar os beijos do cinema… e ano que vem estaremos mais uma vez aqui, para trazer mais momentos como este. Até lá.

Encerro este post com uma frase do filme Moulin Rouge! Amor em Vermelho: “A coisa mais importante que aprenderá, é simplesmente amar e ser amado.”

Assuntos relacionados:

> Especial: Dia Internacional do Beijo #1
Especial: Dia Internacional do Beijo #2

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.

Especial: Atores e Atrizes Quando Crianças #2

Comédia, romance, aventura, suspense, terror… enfim… Depois do sucesso do ano passado com a Parte #1 deste especial, confira mais 5 Atores e 5 Atrizes quando eram crianças.

Christina Ricci

Christina Ricci nasceu no dia 12/02/1980 na Califórnia, EUA. Estreou no cinema no filme “Minha Mãe é Uma Sereia” em 1990. Em 1991 participou de “A Família Adams”, onde interpretou Vandinha, o seu personagem mais conhecido.

Arnold Schwarzenegger

Arnold Schwarzenegger nasceu no dia 30/07/1947 na Estíria, Áustria. Estreou no cinema no filme “Hércules em Nova York” em 1969. The Terminator e Conan, são seus personagens mais famosos da telona.

Daveigh Chase

Daveigh Chase nasceu no dia 24/07/1990 em Nevada, EUA. Estreou no cinema no filme “A. I.: Inteligência Artificial” em 2001, mas seu personagem mais famoso é a pequena Samara de “O Chamado”, em 2002.

Miko Hughes

Miko Hughes nasceu no dia 22/02/1986 na Califórnia, EUA. Estreou no cinema no filme “Cemitério Maldito” em 1989, onde viveu o pequeno Cage.

Jodie Foster

Jodie Foster nasceu no dia 19/11/1962 na Califórnia, EUA. Estreou no cinema no filme “Napoleão e Samantha” em 1972. Ganhadora de dois Oscar’s, por “Acusados” e “O Silêncio dos Inocentes.

Tom Cruise

Tom Cruise nasceu no dia 03/07/1962 em Nova York, EUA. Estreou no cinema no filme “Amor Sem Fim” em 1981. Consagrado como astro de ação, principalmente na franquia “Missão: Impossível”, Tom é conhecido por dispensar dublês nas suas cenas.

Jessica Alba

Jessica Alba nasceu no dia 28/04/1981 na Califórnia, EUA. Estreou no cinema no filme “A Super Alex” em 1994. Em 2005 viveu Sue Storm, em “Quarteto Fantástico”.

Harrison Ford

Harrison Ford nasceu no dia 13/07/1942 em Chicago, EUA. o eterno Indiana Jones estreou no cinema no filme “O Ladrão Conquistador” em 1966.

Jennifer Aniston

Jennifer Aniston nasceu no dia 11/02/1969 na Califórnia, EUA. Estreou no cinema no filme “Acampamento Cucamonga” em 1990, mas o seu maior sucesso veio no seriado “Friends”, onde vive Rachel Green.

Haley Joel Osment

Haley Joel Osment nasceu no dia 10/04/1988 na Califórnia, EUA. Estreou no cinema no filme “Forrest Gump: O Contador de Histórias” em 1994, onde interpreta o filho de Tom Hanks. Ficou famoso em 1999 no filme “O Sexto Sentido”, onde conseguiu uma indicação ao Oscar.

Então é isso… ano que vem, voltaremos com a Parte #3 deste especial… até lá…

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.