Cinema: Doutor Estranho

APERTEM OS CINTOS, O MISTICISMO VOLTOU!

doutor-estranho

Entre as diversas cenas dos 115 minutos de Doutor Estranho capazes de causar surtos de alegria, há uma que é uma joia: a doutora Christine (Rachel McAdams) tem de ressuscitar, sozinha na sala cirúrgica, um paciente em parada cardíaca. Só que o paciente tem a habilidade incomum de separar seu corpo astral de seu corpo físico e, enquanto Christine lida afobada com o desfibrilador, a projeção astral do paciente aproveita para se engalfinhar numa briga de bar com a projeção astral de um vilão. Rola sopapo esotérico para todo lado, alguns tão violentos que dão trancos na desesperada Christine, ou fazem soprar o cabelo dela, ou chacoalhar os equipamentos. Eu não sabia o que fazer primeiro, se roer as unhas ou gargalhar – e descobri que fazer as duas coisas ao mesmo tempo pode não ser fácil, mas é muito compensador. Essa junção de imaginação, ação, efeito, tensão, pastelão e até romance (a ressurreição do paciente é um legítimo gesto de amor por parte de Christine) é dosada com tanta felicidade, e resulta tão embriagante, que só por uma sequência assim um filme já justificaria sua existência.

Doutor Estranho conta a história de Stephen Strange (Benedict Cumberbatch), um neurocirurgião que leva uma vida bem sucedida, mas as coisas começam a mudar completamente quando ele sofre um acidente de carro e fica com as mãos debilitadas. Devido a falhas da medicina tradicional, ele parte para um lugar inesperado em busca de cura e esperança, um misterioso enclave chamado Kamar-Taj, localizado em Katmandu. Lá descobre que o local não é apenas um centro medicinal, mas também a linha de frente contra forças malignas místicas que desejam destruir nossa realidade. Ele passa a treinar e adquire poderes mágicos, mas precisa decidir se vai voltar para sua vida comum ou defender o mundo.

Doutor Estranho é o décimo quarto filme do Universo Cinematográfico Marvel, tem identidade e personalidade de sobra, mas é bem verdade que possui um roteiro não linear com algumas falhas evidentes. Porém, como já falei acima, Doutor Estranho tem muito a justificar em relação a sua existência: Benedict Cumberbatch é um ator frequentemente muito inspirado, mas aqui tem mais espaço para brincar até do que em Sherlock Holmes – e ele o aproveita tudo, e tira o sumo de cada cena e cada diálogo (o mesmo, aliás, vale para o restante do elenco). Tilda Swinton, esse ser vindo de alguma galáxia ofuscante, me deixou de joelhos como a Anciã (e não venham me dizer que é absurdo trocar um velhinho oriental por uma escocesa de meia-idade, porque absurdo seria não poder trocar o previsível pelo inesperado). O vilão Kaecelius é assim-assim, mas como quem o interpreta é Mads Mikkelsen vou fingir que não percebi; em Mads eu perdoo tudo. E esse clima viajandão é uma delícia: até os personagens parecem meio intoxicados com as coisas lisérgicas que são capazes de fazer (Londres girando como um cubo mágico, e dobrando-se sobre si mesma? Só assim Londres fica melhor do que já é). Nota 10, então, para Scott Derrickson, que faz aqui uma das transições mais elegantes que já vi, do terror de O Exorcismo de Emily Rose e Livrai-nos do Mal para o lado reverso do universo Marvel.

Quer mais encanto? Dentro de Derrickson, aparentemente, vivem também Moe, Larry e Curly, mais o Gordo e o Magro e a trupe inteira do Monty Python. A cena em que a Capa da Levitação escolhe Estranho como seu novo mestre? Brilhante. E ainda não acabou. Há um momento de beleza verdadeira, no qual a Anciã contempla o mundo e constata que qualquer vida, por mais longa que seja, é sempre muito curta (Tilda consegue transformar qualquer lugar-comum em revelação). Cuidado: se você não estiver preparado para sair de uma sessão de cinema em um estado inebriado, ou até eufórico, passe longe de Doutor Estranho.

Nota 9

Doctor Strange, 2016. Direção: Scott Derrickson. Com: Benedict Cumberbatch, Chiwetel Ejiofor, Rachel McAdams, Mads Mikkelsen, Tilda Swinton, Benjamin Bratt. 115 Min. Ação.

Anúncios

Cinema: Spotlight – Segredos Revelados

Spotlight - Segredos Revelados

De vez em quando o cinema gosta de retratar histórias de jornalismo investigativo. De roteiros originais, como Intrigas de Estado, a baseado em fatos reais, como Zodíaco, o certo é que quase todos geram ótimos filmes. Spotlight: Segredos Revelados é um filme baseado em fatos reais, envolvendo abuso sexual infantil partindo de uma das instituições mais poderosas do mundo: a Igreja Católica.

Para entender o filme somos jogados dentro da redação do jornal Boston Globe e conhecemos a equipe editorial chamada Spotlight. Essa equipe trabalha em matérias investigativas, na qual demoram muito tempo para serem publicadas devido a todo o tramite que uma matéria dessas tem: levantamento de dados, entrevistas, apuração dos fatos, investigações etc. O jornal recebe um novo editor-chefe, Marty Baron (Liev Schreiber), que, ao chegar, pede para a equipe Spotlight investigar um caso de pedofilia na cidade de Boston, em que o acusado é um padre.

A partir daí a equipe encabeçada por Walter Robinson (Michael Keaton) começa as investigações. Mike Rezendes (Mark Ruffalo), Sacha Pfeiffer (Rachel McAdams) e Matt Caroll (Brian d’Arcy) se debruçam no assunto a ponto de não dormirem direito. A cada descoberta, outra coisa vai aparecendo e eles percebem que aquele padre que eles começaram a investigar é apenas a ponta do iceberg, numa trama que envolve poder e dinheiro.

O maior acerto de Spotlight: Segredos Revelados é porque o filme fica centrado na instituição da igreja católica. Em nenhum momento o filme questiona a fé, o filme apenas vai mostrando a caça a pessoas que estariam envolvidas em pedofilia. Isso fica mais claro quando um dos personagens diz: “A igreja católica é uma instituição e uma instituição é formada por homens, logo, pode cair”. Os dados informados durante o longa são assustadores. A cada nova descoberta ficamos mais surpresos. Na sessão em que eu estava, era notório ver o público se espantando com cada nova descoberta revelada pela equipe Spotlight.

O filme é uma aula de jornalismo investigativo, com todo aquele charme de ir atrás da notícia. Nada de sangue e tiro. É nítido no roteiro o uso de teorias como gatekeeper, newsworthness, entre outras. Observamos de perto o nascimento de uma notícia, desde seu início.

Para dar vida a esses personagens, um grande elenco foi reunido. Michael Keaton está ótimo como o chefe da equipe Spotlight. O ator que renasceu na carreira graças ao sucesso de Birdman ano passado, aqui dá prosseguimento a ótima fase em que vive. Ele entrega um personagem que consegue tirar o melhor da sua equipe. Rachel McAdams tem a sua melhor atuação da carreira, mostrando em sua personagem uma força incrível, apesar de parecer frágil. Por fim, temos a melhor atuação do filme, a de Mark Ruffalo, em que percebemos que ele é quem mais fica envolvido e tocado com a história. Mark inclusive tem uma cena impecável, na qual ele esbraveja com seu chefe. É por essas e outras que Spotlight: Segredos Revelados vai forte para o Oscar.

O filme é dirigido por Tom McCarthy que não tinha feito nada de relevante até aqui. Seu filme mais famoso foi Trocando os Pés, estrelado por Adam Sandler. Aqui em Spotlight ele tem uma direção impressionante, com planos e tomadas perfeitas, o diretor consegue fazer passar tanta coisa na nossa cabeça, em cenas que mostram crianças cantando em coral de igreja ou crianças que foram abusadas. Simplesmente fantástica a sua direção. O filme também tem uma trilha sonora ótima e um design de produção que recriou o início dos anos 2000 perfeitamente bem.

Essa matéria investigativa foi vencedora de um Pulitzer, o Oscar do Jornalismo americano. A própria equipe da Spotlight escreveu um livro e que virou este filmaço que agora caminha para a maior premiação do Cinema.

Um soco no estomago até nos créditos finais. Spotlight: Segredos Revelados é corajoso ao mostrar o lado podre de algumas pessoas envolvidas na instituição igreja. Um filme visceral que nos faz perder um pouco mais de fé na humanidade.

Nota 10

Spotlight, 2015. Direção: Tom MacCarthy. Com: Mark Ruffalo, Michael Keaton, Rachel McAdams, Liev Schreiber, John Slattey, Brian d’Arcy, Stanley Tucci. 128 Min. Drama.

ass_evilmar

ass_nayara

Oscar 2016: Indicados

oscar 2016

Hoje (14/01) foi divulgada a lista dos indicados ao Oscar 2016. Entre favoritos e surpresas, O Regresso lidera com 12 indicações, seguido de Mad Max: Estrada da Fúria com 10. E tem brasileiro concorrendo! A animação O Menino e o Mundo enfrenta o favoritíssimo Divertida Mente na categoria Melhor Animação. Vamos a lista completa:

Melhor Filme

Mad Max: Estrada da Fúria
O Regresso
O Quarto de Jack
Spotlight: Segredos Revelados
A Grande Aposta
Ponte dos Espiões
Brooklyn
Perdido em Marte

Melhor Diretor

Alejandro G. Iñárritu (O Regresso)
Tom McCarthy (Spotlight: Segredos Revelados)
Adam McKay (A Grande Aposta)
George Miller (Mad Max: Estrada da Fúria)
Lenny Abrahamson (O Quarto de Jack)

Melhor Atriz

Cate Blanchett (Carol)
Brie Larson (O Quarto de Jack)
Saoirse Ronan (Brooklyn)
Charlotte Rampling (45 Anos)
Jennifer Lawrence (Joy: o Nome do Sucesso)

Melhor Ator

Bryan Cranston (Trumbo)
Leonardo DiCaprio (O Regresso)
Michael Fassbender (Steve Jobs)
Eddie Redmayne (A Garota Dinamarquesa)
Matt Damon (Perdido em Marte)

Melhor Ator Coadjuvante

Christian Bale (A Grande Aposta)
Tom Hardy (O Regresso)
Mark Ruffalo (Spotlight: Segredos Revelados)
Mark Rylance (Ponte dos Espiões)
Sylvester Stallone (Creed: Nascido para Lutar)

Melhor Atriz Coadjuvante

Jennifer Jason Leigh (Os 8 Odiados)
Rooney Mara (Carol)
Rachel McAdams (Spotlight: Segredos Revelados)
Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa)
Kate Winslet (Steve Jobs)

Melhor Roteiro Original

Ponte dos Espiões
Ex Machina
Divertida Mente
Spotlight: Segredos Revelados
Straigh Outta Comptom

Melhor Roteiro Adaptado

A Grande Aposta
Brooklyn
Carol
Perdido em Marte
O Quarto de Jack

Melhor Animação

Anomalisa
Divertida Mente
Shaun, o Carneiro
O Menino e o Mundo
As Memórias de Marnie

Melhor Documentário em Curta-Metragem

Body Team 12
Chau, Beyond The Lines
Claude Lanzmann: Spectres Of The Shoah
A Girl In The River: The Price Of Forgiveness
Last Day Of Freedom

Melhor Documentário em Longa-Metragem

Amy
Cartel Land
O Peso do Silêncio
What Happened, Miss Simone?
Winter on Fire: Ukraine’s Fight fo Freedom

Melhor Filme Estrangeiro

Theeb (Jordânia)
A War (Dinamarca)
Mustang (França)
Saul Fia (Son Of Saul) (Hungria)
Embrace Of The Serpent (Colombia)

Melhor Curta-Metragem

Ave Maria
Day One
Everything Will Be Okay (Alles Wird Gut)
Shok
Stutterer

Melhor Curta em Animação

Bear Story
Prologue
Os Heróis de Sanjay
We Can’t Live Without Cosmos
World of Tomorrow

Melhor Canção Original

“Earned It” (Cinquenta Tons de Cinza)
“Manta Ray” (Racing Extinction)
“Simple Song #3” (Youth)
“Writing’s On The Wall” (007 Contra Spectre)
“Til It Happens To You” (The Hunting Ground)

Melhor Fotografia

Carol
Mad Max: Estrada da Fúria
O Regresso
Sicario: Terra de Ninguém
Os 8 Odiados

Melhor Figurino

O Regresso
Carol
Cinderela
A Garota Dinamarquesa
Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor Maquiagem e Cabelo

The 100-Year-Old Man Who Climbed out The Window And Disappeared
Mad Max: Estrada da Fúria
O Regresso

Melhor Mixagem de Som

Ponte dos Espiões
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
Star Wars: O Despertar da Força

Melhor Edição de Som

Sicario: Terra de Ninguém
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso
Star Wars: O Despertar da Força

Melhores Efeitos Visuais

Star Wars: O Despertar da Força
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
Ex Machina
O Regresso

Melhor Design de Produção

Ponte dos Espiões
A Garota Dinamarquesa
Mad Max: Estrada da Fúria
Perdido em Marte
O Regresso

Melhor Edição

A Grande Aposta
Mad Max: Estrada da Fúria
O Regresso
Spotlight – Segredos Revelados
Star Wars: O Despertar da Força

Melhor Trilha Sonora

Carol
Os 8 Odiados
Sicario: Terra de Ninguém
Ponte dos Espiões
Star Wars: O Despertar da Força

A Cerimônia do Oscar acontece na noite do dia 28 de fevereiro e será apresentada pelo ator Chris Rock.

ass_evilmar

Cinema: Sob o Mesmo Céu

Personagem de Bradley Cooper dividido entre um novo amor e as lembranças do antigo romance.

Personagem de Bradley Cooper dividido entre um novo amor e as lembranças do antigo romance.

Cameron Crowe sabe como ninguém dirigir e criar histórias que fazem o público se identificar. Em Jerry Maguire: A Grande Virada, Tom Cruise correu atrás da mulher amada, se declarou e falou tudo o que disse; em Digam o Que Quiserem, John Cusack sofre pelo amor não correspondido da sua colega; em Tudo Acontece em Elizabethtown, Orlando Bloom atravessa o luto pela morte do pai e o fracasso no trabalho para encontrar o grande amor. Fazer com que o público se sinta parte do filme é uma especialidade de Crowe. Sob o Mesmo Céu não vai ser um dos grandes filmes do diretor, afinal de contas, além desses que citei, Crowe dirigiu Quase Famosos e Vanilla Sky, ou seja, a sua filmografia só tem ótimos filmes.

Sob o Mesmo Céu centra a sua história no personagem de Bradley Cooper, Brian Gilcrest, um ex-militar que agora é pago para supervisionar o lançamento de um satélite. Quem o acompanha nessa tarefa é a piloto da Força Aérea Allison Ng, vivida por Emma Stone. Brian viaja para o Havaí, onde ocorrerá o lançamento, e reencontra sua ex-namorada Tracy (hoje casada), vivida por Rachel McAdams. Enquanto Brian, realiza o seu dever, ele se vê dividido entre a sua antiga paixão e os sentimentos que começa a sentir por Allison.

Os filmes de Cameron Crowe sempre são assim, doces, simples e cheio de sentimentos, que nos fazem refletir, porque sempre em um determinado momento nos identificamos com algum ponto da história. O filme ganha mais vida devido a sua trilha sonora, tão linda e calma como uma dança de ula-ula. Diga-se de passagem, trilha sonora sempre é destaque em filmes do diretor.

O filme tem uma atuação carismática do trio principal, Cooper, Stone e McAdams. Completam o elenco o eterno Jim do seriado The Office, John Krasinski, e os ótimos Alec Baldwin e Bill Murray no qual este vive um excêntrico milionário em um personagem irresistível.

Um filme leve, ideal para ser curtido numa tarde de sábado. Um filme para você sair emocionado e com um sorriso no rosto.

Nota 9

Aloha, 2015. Direção: Cameron Crowe. Com: Bradley Cooper, Emma Stone, Rachel McAdams, Bill Murray, John Krasinski, Alec Baldwin. Comédia Romântica. 105 Min.

ass_evilmar

ass_nayara

Especial: Dia Internacional do Beijo #3

E mais uma vez o Claquetes traz para você 10 cenas de beijo, no Dia Internacional do Beijo. Vamos relembrar mais 10 filmes que tem nesse momento uma de suas melhores partes:

Ghost: Do Outro Lado da Vida

Demi Moore e Patrick Swayze.

Demi Moore e Patrick Swayze.

Ao som de “Unchained Melody”, temos uma cena marcante da história do cinema, entre Molly e Sam no clássico Ghost: Do Outro Lado da Vida.

As Pontes de Madison

Meryl Streep e Clint Eastwood.

Meryl Streep e Clint Eastwood.

Se você quiser que eu pare, fale agora.“, diz Robert. “Não ouço ninguém falar nada.” responde Francesca. Precisa dizer mais alguma coisa?

A Dama e o Vagabundo

Dama e Vagabundo.

Dama e Vagabundo.

Animação sempre emociona. E com uma cena tão bem montada, nasce uma cena clássica do gênero, com a Dama e o Vagabundo comendo macarrão, e terminando com um beijo pra lá de levado.

Penetras Bons de Bico

Rachel McAdams e Owen Wilson.

Rachel McAdams e Owen Wilson.

Por mais festeiro que você seja, o que fazer quando a pessoa certa aparece em sua vida? John se declara em meio a um casamento e Claire não resiste.

Scott Pilgrim Contra o Mundo

Mary Elizabeth Winstead e Michael Cera.

Mary Elizabeth Winstead e Michael Cera.

Para enfrentar 7 ex-namorados, a garota tem que valer muito a pena… e Ramona com certeza vale muito a pena, e Scott Pilgrim aceita o desafio para ficar com a sua amada.

Digam o Que Quiserem

Ione Skye e John Cusack.

Ione Skye e John Cusack.

Simpático, tímido, porém com um coração de ouro. Essas são as armas de Lloyd para conquistar Diane.

O Pecado Mora ao Lado

Tom Ewell e Marilyn Monroe.

Tom Ewell e Marilyn Monroe.

Ninguém resiste ao charme e beleza da grande musa Marilyn Monroe. Nem Richard, que mesmo casado não resiste ao charme da “Garota”, nesse clássico do cinema.

Drive

Carey Mulligan e Ryan Gosling.

Carey Mulligan e Ryan Gosling.

Em uma cena bastante poética, temos um homem pacato, porém violento o Driver, não resistindo ao amor com a bela Irene, em uma cena bastante bonita em um elevador.

Cartas Para Julieta

Amanda Seyfried e Christopher Egan.

Amanda Seyfried e Christopher Egan.

Rever a vida, e perceber que encontrou o grande amor da sua vida, faz com que Sophie corra ao encontro de Charlie em Cartas Para Julieta.

O Maskára

Cameron Diaz e Jim Carrey.

Cameron Diaz e Jim Carrey.

Cameron Diaz em seu papel mais sensual no cinema, entrega um Tina que parece só querer se aproveitar, porém conhece Stanley, que as vezes se transforma no Maskára, e aí, ninguém segura este “herói”

Sempre é bom relembrar os beijos do cinema… e ano que vem estaremos mais uma vez aqui, para trazer mais momentos como este. Até lá.

Encerro este post com uma frase do filme Moulin Rouge! Amor em Vermelho: “A coisa mais importante que aprenderá, é simplesmente amar e ser amado.”

Assuntos relacionados:

> Especial: Dia Internacional do Beijo #1
Especial: Dia Internacional do Beijo #2

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.

Cinema: Para Sempre

Amor, Momentos e Impactos…

Leo luta para fazer Paige se apaixonar novamente.

Para Sempre acompanha Paige e Leo (Rachel McAdams e Channing Tatum), um feliz casal recém-casado cujas vidas são transformadas por um acidente de carro que deixa Paige em coma. Ao acordar com uma perda de memória severa, Paige não se lembra de Leo, mas apenas da confusa relação com seus pais (Sam Neil e Jessica Lange) e do ex-noivo (Scott Speedman) por quem ela talvez ainda sinta algo. Apesar destas complicações, Leo luta para conquistar seu coração novamente e reconstruir seu casamento.

O dia dos namorados chegou, e com ele mais um filme de romance chega aos cinemas. Para Sempre é inspirado em uma história real, e consegue ser um ótimo filme, e dependendo do momento pessoal que você está passando, pode se tornar um filme fantástico, e assim vai agradar aos fãs do gênero.

O filme já tem um atrativo bem interessante: ser baseado ou inspirado em fatos reais. Saber que boa parte do que estamos vendo em tela aconteceu, faz com que fiquemos mais atentos, e ver se os personagens passam a emoção necessária que a história precisa.

O filme lida com muitas coisas: amor, romance, fatalidade, problemas na família… enfim, é nessas situações que encontramos o casal Paige e Leo. Leo que depois do acidente vê o futuro de sua relação ameaçado, pois sua esposa não lembra quem ele é, e assim fará de tudo para conquistá-la de novo. Channing Tatum entrega uma ótima atuação, carregada de medo em perder a sua amada, mas demonstrando uma enorme força de vontade para a ter de volta. Acredito que muitas das pessoas que viram o filme, se vêem nesse personagem, naquela coisa de acreditar no amor, de que vai conseguir a sua amada ou amado um dia, enfim, é um personagem cheio de esperanças. Rachel McAdams como sempre está ótima, e aqui interpreta brilhantemente a personagem que não lembra do marido e sabe que tem que passar um tempo com ele, mesmo ele sendo um estranho para ela. É claro que o filme até tenta  ser surpreendente. Quase no fim eu pensei: “Será que eles não vão ficar juntos?“. Mas como na maioria dos filmes de romance, é lógico que eles ficam juntos. Mas a melhor coisa, é acompanhar o sofrimento deste homem, tentando reconquistar o seu grande amor. E nessa jornada somos nós espectadores que ganhamos, ao ver esta bela história real, e inspiradora.

Para Sempre não deve entrar na lista de filmes clássicos do cinema de romance, mas mesmo assim merece ser descoberto.

Nota: 8,0

The Vow, 2012. Direção: Michael Sucsy. Com: Rachel McAdams, Channing Tatum, Sam Neill, Jessica Lange, Scott Speedman, Jeananne Goossen, Dillon Casey, Lucas Bryant, Brittney Irvin. 104 Min. Romance / Drama.

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.

Especial: Dia Internacional do Beijo #2

Mais um ano passou, e o Dia Internacional do Beijo chegou novamente… 13/04 é um dia para relembrarmos as emoções que o cinema nos proporcionou com estas cenas inesquecíveis.

Homem-Aranha

Tobey Maguire e Kirsten Dunst.

Com a chuva como atrativo, surge um dos beijos mais diferentes da história do cinema. Homem-Aranha de cabeça para baixo e Mary Jane o beijando.

Match Point

Scarlett Johansson e Jonathan Rhys Meyers.

Desejo que leva a traição. Chris completamente louco por Nola a domina no meio do mato e debaixo de chuva. Detalhe: Chris é casado com outra.

A Múmia

Rachel Weisz e Brendan Fraser.

Depois de uma vitória em uma grande batalha, nada melhor do que ganhar o coração da bela dama. O filme A Múmia encerra com um super beijo entre O’Connell e Evelyn.

Diário de Uma Paixão

Rachel McAdams e Ryan Gosling.

Allie e Noah em uma de suas melhores cenas, tanto no filme quanto no livro. Ao calor de suas paixões adolescentes o jovem casal em um dos vários momentos daquele verão tão inesquecível para os dois, onde encontraram um no outro o verdadeiro e eterno amor!
(Descrição feita por Pedro Henrique, amante do cinema e da literatura)

Lembranças de Um Verão

Anton Yelchin e Mika Boorem.

Quem nunca teve aquele amor na infância? Aquele que sempre imaginamos que duraria a vida inteira? Em volta de todo um clima, no escuro e em um parque de diversões, vemos Bobby e Carol descobrindo o beijo. E como diz o personagem de Antony Hopkins no filme: “E é com esse beijo que todos os outros serão comparados… e deixarão a desejar.”

Um Beijo Roubado

Jude Law e Norah Jones.

E põe roubado nisso. Elizabeth deita a cabeça no balcão, e Jeremy também se deita para roubar um beijo da bela garota.

Simplesmente Amor

Martine McCutcheon e Hugh Grant.

A saudade do grande amor, e a emoção de revê-lo se resume a esta cena, em que Natalie corre no aeroporto para os braços do seu grande amor, o Primeiro Ministro da Inglaterra que chegava de viagem. Ela pula em cima dele, e o Primeiro Ministro a beija na frente de várias pessoas.

(500) Dias Com Ela

Zooey Deschanel e Joseph Gordon-Levitt.

Um cara que se apaixona por uma garota, que nunca retribuiu da mesma forma o amor dele. Mas a primeira vez que os dois se beijam é carregado de sonhos, de vitórias, e de conquista… pelo menos para Tom… a mesma coisa não podemos dizer de Summer.

Piratas do Caribe: No Fim do Mundo

Keira Knightley e Orlando Bloom.

A franquia Piratas do Caribe é pra lá de exagerada em todos os fatores. E nem em um casamento seria normal. No meio de uma batalha, Will e Elizabeth resolvem se casar… Barbosa é o encarregado da cerimônia, e ao final temos um belo beijo do casal, em uma cena pra lá de divertida e muito bem elaborada.

Doce Novembro

Charlize Theron e Keanu Reeves.

Já imaginou você conhecer o grande amor da sua vida, e descobrir que ela não viverá por muito tempo? Muito doente, Sara leva Nelson vendado até uma praça, onde se despede com um beijo… quando ele tira a venda, ela já sumiu… impossível alguém não chorar.

Então é isso… depois do sucesso do post do ano passado, voltamos com a segunda parte. E aguarde, porque ano que vem estaremos aqui com a Parte #3 do Dia Internacional do Beijo.

Agradeço ao Pedro Henrique que colaborou neste post, com a descrição de um dos seus filmes preferidos: Diário de Uma Paixão.

Encerro este post, com uma frase do filme Plano B“Porque se a gente não fosse só amigo, eu te beijaria agora e seria o seu melhor beijo.

Assuntos Relacionados:
> Especial: Dia Internacional do Beijo #1

Evilmar S. de Almeida é comentarista de cinema do Claquetes. Instrutor de Informática por profissão e cinéfilo por natureza, é fundador e Editor Chefe do Claquetes desde 2011.